Por lucas.cardoso

Rio - A chegada da primavera causa com mais frequência perturbações como crises de asma, rinite alérgica e conjuntivite, em razão da maior presença de pólen no ar. No uso do automóvel, especialistas recomendam manter janelas do carro sempre fechadas, não utilizar o ar-condicionado abaixo de 23º e sempre manter os filtros limpos e com produtos de qualidade, para evitar essas doenças.

Ajuste na temperatura do ar-condicionado Reprodução Internet

Os filtros, particularmente os de cabine, passam a ter importância ainda maior, pois afeta diretamente a saúde das pessoas. E justamente é um dos ignorados na hora de fazer a manutenção do carro, talvez pela razão do componente não ter prazo ou quilometragem recomendada para troca, como nos demais.

O mercado disponibiliza dois tipos de filtros de cabine, o convencional e o de carvão ativado. Todo carro possui o componente, independentemente de ter ar-condicionado ou não. Alguns modelos aceitam os dois tipos, outros aceitam apenas um deles. Veja o manual do proprietário para saber a especificação da peça.

No caso do modelo de filtro de cabine mais sofisticado, com carvão ativado, além do pólen e de outras impurezas do ar, o componente também age contra odores e gases tóxicos provenientes do meio externo.

Quando trocar

O ar que circula dentro do veículo já é bastante inadequado em função do gás carbônico que expiramos. Portanto, é fundamental a manutenção da peça na busca por um ambiente menos nocivo.

Quem usa o carro em regiões metropolitanas, mais sujeitas à poluição, a saturação da peça será mais breve. Se ao ligar o ar-condicionado notar uma diminuição do fluxo de vento ao longo do tempo, pode ser um indício. Odores no ambiente são outro. O mais apropriado é ao disponibilizar o carro para a manutenção pedir a checagem do filtro de cabine. Consulte também o manual do proprietário para maiores esclarecimentos.

Você pode gostar