As estrelas do Salão do automóvel de São Paulo

Supersportivo GT, da Ford, rouba a cena no estande da montadora junto com duas versões do Mustang e a picape Raptor

Por O Dia

São Paulo - A percepção da crise foi clara. As montadoras tiveram pouco a mostrar de efetivo para o Brasil nos dois dias de imprensa do Salão de São Paulo. Para o público, a mostra começa hoje e vai até o dia 20. As vitrines exibiam, na sua maioria, conceitos e carros de nicho, que poucos podem pagar. Outra certeza é o domínio da carroceria SUV, principalmente de dimensões compactas, uma tendência que era clara bem antes do evento paulista.

O curioso do salão é que muito do que estava sendo apresentado foi lançado ao longo do ano. Para causar certa impressão, os fabricantes aplicaram perfumaria nos produtos já lançados, vide o estande da Fiat, Hyundai, Peugeot, entre outros. Também pouco se viu de novidades em motor. A Renault salvou a ocasião apresentando nova família composta por dois propulsores.

PERDERAM FORÇA

No último Salão de São Paulo, em 2014, as fabricantes chinesas avançavam em solo brasileiro de forma avassaladora. Nesta edição, a história já é bem diferente. Chery apresenta no segundo dia de evento estratégia de reformulação para o nosso mercado. Lifan tem estande, mas não tem coletiva programada. JAC, com estande gigante na entrada do pavilhão na edição passada da mostra, luta para sobreviver aqui e não veio dessa vez. Geely nem existe mais. BYD e Zotye ainda não decolaram.

Veja os destaques:

Ford GTLeandro Eiró / Agência O Dia

Supersportivo GT, da Ford, rouba a cena no estande da montadora junto com duas versões do Mustang e a picape Raptor

CHEVROLET CRUZE SPORT6Leandro Eiró / Agência O Dia

Cruze: Nova versão hatch do médio da marca da gravata. Assim como no sedã, esse veículo também é movido pelo motor 1.4 turbo de 153 cv combinado com câmbio automático de seis marchas com sistema liga/desliga (que desliga o carro em paradas breves)

Chevrolet CamaroLeandro Eiró / Agência O Dia

Camaro: Essa é a nova geração do esportivo, já disponível para o Brasil. O musculoso está de arquitetura mais leve e ainda mais compacta. O motor é o V8 6.2 litros de 461 cv, casado com uma transmissão automática de oito marchas. Na foto, a versão conversível

FIAT X6HLeandro Eiró / Agência O Dia

Fiat X6H: Eles não tiveram o que apresentar de novo, pois todas as novidades já foram lançadas. O projeto ‘X6H’, veículo que vai aposentar Palio e Punto de uma só vez, não estava presente. Anunciaram para o Mobi o motor três cilindros lançado no Uno e incrementaram o portfólio, como mostra essa Toro na foto

Kia CeratoLeandro Eiró / Agência O Dia

Kia Cerato: O presidente da marca coreana no Brasil, José Luiz Gandini, criticou a política para carros importados do governo, mas não deixou de anunciar novos produtos. Na foto, a nova geração do sedã Cerato, que agora vem do México, com o motor 1.6 flex de 128 cv e câmbio automático de seis marchas. Oferecido por R$ 77 mil

EvoqueLeandro Eiró / Agência O Dia

Land Rover: A britânica, junto da Jaguar, recheou seu estande com seu portfólio conhecido. Mas trouxe a carroceria conversível do Evoque, limitado a somente 45 unidades para o Brasil, vendida por R$ 292.500 em pré-venda. A montadora também apresentou aqui a nova geração do Discovery

Peugeot 3008Leandro Eiró / Agência O Dia

Peugeot: Na luta para ter lugar mais merecedor no mercado brasileiro, a marca francesa apresentou o 3008, agora um autêntico SUV. O motor, um forte do grupo PSA (a Citroën não trouxe novidades), é o 1.6 THP de 163 cv. O câmbio será automático de seis velocidades. Deve chegar ao Brasil em 2017

Salão de São PauloLeandro Eiró / Agência O Dia

Ford: Foi exatamente no Salão que a marca do oval azul finalmente decidiu anunciar o lançamento oficial do Mustang no Brasil. A pré-venda começa no último trimestre do ano que vem, para entrega das primeiras unidades prevista para o começo de 2018. Deveremos ter aqui somente a versão GT, com motor V8 de 510 cv. Na foto, a versão de performance Shelby GT350R de 553 cv

Audi R8Leandro Eiró / Agência O Dia

Audi: A fabricante alemã das quatro argolas também foi outra que não exibiu novidades durante a mostra. Todos os lançamentos foram feitos ao longo do ano. Mas vale o destaque para a nova geração do R8, com seu motor V10 5.2 litros de 610 cv. O superesportivo acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,2 segundos e atinge velocidade máxima de 330 km/h

Mercedes-BenzLeandro Eiró / Agência O Dia

Mercedes-Benz: Montou o seu estande com produtos já conhecidos do público. E adicionou versões de carros sofisticados que ainda não ganharam o Brasil. É o caso, por exemplo, do AMG S63 cabriolet de motor V8 biturbo 5.5 litros. A Brabus, conhecida preparadora dos carros Mercedes, vende sua versão do conversível aqui. É um carro caro. O preço passa fácil da casa do R$ 1 milhão

Salão de São PauloLeandro Eiró / Agência O Dia

CHRYSLER/DODGE/JEEP: A maior das atrações no estande das três marcas americanas é, sem dúvida alguma, o Dodge Challenger Hellcat, com seu V8 6.2 litros. Incrementado ainda por compressor mecânico, entrega nada menos que abissais 717 cv. É importado ainda de forma independente, com preço que gira em torno de R$ 800 mil

Salão de São PauloLeandro Eiró / Agência O Dia

Nissan: É considerado como o maior de todos os destaques apresentados pela montadora japonesa com fábrica em Resende. É a 12ª geração da picape Frontier, que traz um novo motor 2.3 biturbodiesel, de 190 cv acompanhado de um câmbio automático de sete marchas e suspensão traseira multilink. Mas não adianta se animar: o veículo só deve chegar ao país a partir do ano que vem

Salão de São PauloLeandro Eiró / Agência O Dia

Honda: Eis uma das montadoras que apresentou uma boa novidade, o SUV compacto WR-V, desenvolvida por completo no Brasil. Derivado do Fit, por enquanto a única informação revelada é que suas vendas começam só a partir do ano que vem. Apostamos que sua motorização seja a do monovolume (1.5 de 116 cv e câmbio CVT). Os preços serão mais baratos que o HR-V, óbvio

Salão de São PauloLeandro Eiró / Agência O Dia

Renault 2: Também apresentou outro lançamento interessante, o SUV Captur. Derivado do modelo russo, usará aqui a plataforma do Duster e inclusive já está sendo produzido no Paraná. Terá o novo motor 1.6 SCe de 120 cv com câmbio manual ou CVT, além do já conhecido 2.0 com a transmissão automática de quatro marchas. Não terá 4x4 e chega ano que vem, com preços entre R$ 80 e R$ 95 mil

Salão de São PauloLeandro Eiró / Agência O Dia

Hyundai: A marca coreana parte para a briga dos SUVs compactos com o Creta, derivado da plataforma do HB20. Já produzido em Piracicaba (SP), ao lado do irmão, chega em janeiro com duas opções de motorização: 1.6 Gamma de 130 cv e câmbio manual ou automático de seis marchas; e 2.0 Nu de 166 cv com câmbio automático de seis velocidades. Ambos com sistema liga/desliga

Salão de São PauloLeandro Eiró / Agência O Dia

Maserati: Com estande próprio no Salão, a marca é representada no Brasil pela Via Itália (que também importa Ferrari, Lamborghini e Rolls-Royce). O objetivo foi mostrar o primeiro SUV de sua história, o Levante, que tem motores gasolina ou diesel e tração 4x4. Com gasolina, o utilitário usa um V6 3.0 Ferrari, de 350 ou 450 cv

Salão de São PauloLeandro Eiró / Agência O Dia

Porsche: Pela primeira vez no Salão de São Paulo de forma oficial, a marca alemã deu destaque ao novo Panamera Turbo e o Cayenne S E-Hybrid. O primeiro, em detalhe na foto, tem motor V8 sobrealimentado 4.0 litros com 550 cv. Acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,6 segundos a atinge máxima de 306 km/h. Custa R$ 758 mil


Últimas de Automania