Cuidado com os mínimos detalhes

Em dias quentes, atenção com o motor. Dicas, também, para suspensão, ar-condicionado e GNV

Por O Dia

Rio - Quando chega o Carnaval, também aumenta a movimentação nas estradas. Nessa época, é comum vermos um veículo enguiçado. E, para ajudar os viajantes a não perder a folia, o DIA preparou o ‘Pé na estrada’, uma edição especial com dicas sobre revisão, troca de pneus, balanceamento e até recomendações para comprar um carro novo. Preparado para pegar carona nessa viagem?

O sistema de suspensão é de extrema importância no carro, pois está relacionado ao conforto e à segurança dos passageiros. O exame do conjunto deve ser feito por um profissional especializado. Mas especialistas recomendam que o proprietário faça um teste no amortecedor.

Antes de viajar%2C é melhor prevenir do que remediar. O motorista deve procurar um centro automotivo%2C como a Full Pneus%2C em Nova Iguaçu%2C para fazer revisão dos componenteSDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

“O proprietário deve fazer uma pressão sobre as rodas para baixo e soltar imediatamente. Se o carro retorna à altura padrão e para, o amortecedor está bom. Se ele ficar vibrando e oscilando, é porque a peça não está boa. Normalmente, não é necessário fazer em todas as rodas. Se em um ponto está ruim, a tendência é que todo o restante esteja também, porque o conjunto sofre desgaste igual”, orienta Leonardo Igrejas, da RJ Pneus.

O especialista ainda lembra a importância da verificação de ferramentas, como farol, lanterna, buzina e limpador de pára-brisa. Há, também, a necessidade de fazer alinhamento, balanceamento e cambagem a cada três meses.

Em dias quentes%2C atenção com o motor. Dicas%2C também%2C para suspensão%2C ar-condicionado e GNVDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

“Dadas as condições do nosso asfalto, é melhor fazer de três em três meses”, explica Renato Neves, da 2F Rodas e Suspensão, que também recomenda procurar o serviço se o volante estiver puxando ou se houver trepidação da direção. Carro desalinhado provoca desgaste irregular do pneu, podendo causar perda do componente.

Cuidados em dias quentes

Tempo de forte calor, o radiador deve receber o líquido de arrefecimento e não água, recomenda Rafael Figueiredo, do Auto Center ML Figueiredo. “O fluido específico age de forma mais apropriada para permitir ao radiador resfriar o motor. Use água apenas em veículos muito velhos, cuja estrutura não está preparada para o componente químico”, orienta o especialista.

Também é preciso ter cuidado redobrado com o motor, considerado como o coração do carro. A orientação é fazer a verificação de velas, correia dentada, o óleo do conjunto. “O motor pede toda uma verificação detalhada, porque se ele apresentar problema inviabiliza andar com o carro”, alerta Flávio de Souza, do Grupo Azzurra.

O ar-condicionado, além de proporcionar conforto, influencia na saúde dos ocupantes. “A troca do filtro é feita normalmente entre 10 e 20 mil km, depende do carro. Consulte essa informação no manual do proprietário. Filtros gastos podem provocar doenças respiratórias, além de forçar mais o compressor”, alerta Felipe Henriques, da Epneus.

GNV

Para carros equipados com gás natural veicular, quem dá orientações é a Karina Santana, da Pais e Filhos Gás Natural. A especialista explica que o proprietário deve estar, sobretudo, com a documentação em dia.

Para usar veículo com gás natural%2C proprietário deve estar%2C sobretudo%2C com a documentação em diaDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

“A homologação do GNV tem que estar em dia com o Inmetro”, reforça. Para ser aprovado na vistoria do órgão, o veículo precisa estar revisado, atividade que é feita numa convertedora especializada. “Nesta manutenção, são feitas limpezas do redutor, do cilindro, troca de suporte, reteste do cilindro, entre outras verificações”, esclarece.

Karina ainda lembra que, em tempos de crise, o GNV é uma boa forma de economia. “Instalar gás no automóvel é uma forma de gastar menos com combustível”, informa completando que o veículo já sai com nota fiscal do serviço e pronto para a homologação.

Aprendendo a fazer o rodízio de pneus

De acordo com Waldemar Calinosk, o Mazinho, da FullPneus, o recurso do rodízio de pneus deve ser feito de acordo com o perfil do conjunto. Em média, a substituição deve ser feita a cada 7 mil quilômetros. O objetivo é fazer com que os pneus possam rodar em todas as posições, equilibrando o desgaste.

O rodízio de pneus na tração traseira (vermelho) e tração dianteira (verde)Arte%3A O Dia

“Funciona da seguinte forma: em carros com tração dianteira, os mais comuns, os pneus dianteiros passam para trás do mesmo lado e os traseiros vão à frente, cruzando em ‘x’. Quando o carro é de tração traseira, os pneus traseiros vão para a frente no mesmo sentido e os dianteiros passam para trás cruzando”, explica. Pneus com performance direcional não devem cruzar. Lembrando que a vida útil desses componentes varia de acordo com as condições de uso e manutenção.

Últimas de Automania