Metroviários e Metrô de SP voltam a negociar o fim da greve

Ontem, na quarta reunião de conciliação, não houve acordo. O sindicato pedia 35% de aumento, mas o índice diminuiu para 16,5%

Por O Dia

São Paulo - O Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo promove desde às 17h uma nova audiência de conciliação entre a Companhia do Metropolitano (Metrô) e o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários e em Empresas Operadoras de Veículos Leves sobre Trilhos.

Ontem, na quarta reunião de conciliação, não houve acordo. O tribunal decidiu que o julgamento do dissídio coletivo será no próximo domingo, às 10h. Um pedido do sindicato e da companhia abriu uma nova etapa de negociação.

O maior entrave é o índice de reajuste. O sindicato dos metroviários pedia 35,47% de aumento. O índice foi reduzido para 16,5% e, então, na última audiência, para 12,2%. O Metrô ofereceu 5,2%, 7,98% e, finalmente, 8,7%. Na audiência que ocorre agora, os metroviários disseram que aceitam reajuste menor do que pediram, desde que o Metrô aumente sua oferta.

Por decisão da Justiça, todos os metroviários estão obrigados, mesmo em greve, a trabalhar nos horários de pico, e 70% nos demais. A decisão é contestada pelos trabalhadores.

Últimas de _legado_Notícia