Por marta.valim

Começa nesse sábado uma nova etapa da Copa do Mundo. Terminada a Primeira Fase, não dá mais para errar e não existe mais empate. Se o placar terminar em igualdade para os dois times, o jogo vai para a prorrogação de 30 minutos. Persistindo o empate, a decisão virá dos pênaltis — cinco para cada lado. Se der novo empate, os dois times continuarão batendo penalties até que um deles perca. Sem choro nem vela.

Esse é o clima do jogo contra o Chile, às 13h, no Mineirão, pelas Oitavas de Final. Para enfrentar a seleção chilena, o técnico Felipão ensaiou duas mudanças: Fernandinho e Maicon treinaram entre os titulares, nos lugares de Paulinho e Daniel Alves. Fernandinho, que entrou muito bem na partida contra Camarões, e foi um dos destaques na vitória brasileira de 4x1. Já Maicon, poderá ter sua primeira chance nesta Copa, após ter sido titular na campanha de 2010.

A equipe do Chile, comandada por Jorge Sampaoli, não é fraca. O técnico ficou conhecido após comandar o Universidad de Chile em 2011 e 2012, quando foi campeão da Copa Sulamericana e semifinalista da Libertadores, além de ter conquistados três campeonatos chilenos. Após essas campanhas, seu nome foi especulado em clubes brasileiros, mas acertou com a seleção chilena, em 2012, classificando o time para a Copa.

Mas para enfrentar o Brasil, Sampaoli conta com a ajuda de um “espião” brasileiro. O auxiliar de tecnologia esportiva do Cruzeiro André Batista está trabalhando com a comissão técnica do Chile e é responsável por fazer a análise de desempenho da seleção e de seus adversários.

Já dentro de campo, os jogadores e o técnico Jorge Sampaoli prometem um time ofensivo, mesmo jogando no Brasil. Em entrevistas, destacam a vitória de vitória de 2x0 sobre a Espanha como prova de que o time joga sempre buscando o ataque.

Assim como o Brasil, o Chile não terá nenhum desfalque. O meia Arturo Vidal, um dos destaques do time, se recuperou da lesão no tendão de Aquiles e treinou normalmente. Ele havia sido poupado do jogo contra a Holanda. Além de Vidal, outras armas poderosas da seleção são Alexis Sánchez, atacante do Barcelona, e o meia Marcelo Díaz.

Além da classificação, as duas equipes jogarão também com a preocupação de não perder jogadores para as Quartas de Final por causa do cartão amarelo. O Chile tem Aránguiz, Vidal, Mena e Silva pendurados. Já no Brasil, Neymar, Luiz Gustavo, Ramires e Thiago Silva não podem receber nenhum cartão. Esse será o último jogo que eles estarão pendurados — passando para as Quartas de Final, os cartões serão “zerados”.

Na história das Copas, o Chile tem fama de freguês do Brasil. Foram três confrontos, com três vitórias da seleção brasileira. A primeira na semifinal da Copa de 1962, disputada no Chile, quando o Brasil venceu por 4x2, com dois gols de Garrincha e dois de Vavá.

O segundo confronto entre brasileiros e chilenos foi nas Oitavas de Final da Copa da França, em 1998. O Brasil venceu por 4x1, com dois gols de César Sampaio e dois de Ronaldo.
A última vez ocorreu em 2010, na Copa do Mundo da África do Sul, também pelas Oitavas. A seleção de Dunga venceu por 3x0. Juan, Luis Fabiano e Robinho marcaram os gols.

Você pode gostar