Por parroyo

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta quarta-feira a versão final do edital do leilão de energia A-5, para entrega a partir de 2019, e incluiu três projetos de novas hidrelétricas no documento.

A Aneel incluiu no edital do leilão as novas hidrelétricas de Itaocara I, de 150 megawatts (MW), no Rio de Janeiro, e dois projetos no Paraná, Apertados (139 MW) e Ercilândia (87 MW).

O preço-teto para a energia de Itaocara I foi fixado em RS$ 114 por MWh, o de Ercilândia em R$ 137 e o de Apertados, em RS$ 152. O leilão deve ocorrer em 28 de novembro.

Segundo técnicos das Aneel, dessas três novas usinas, apenas Itaocara já tem licença ambiental prévia, exigência para que um projeto seja oferecido em leilão. As outras duas ainda não têm, mas podem obter o documento até o dia 24 de novembro para participar do certame.

A Aneel também aprovou preços-teto para outras fontes de energia que participarão do leilão. No caso dos projetos solares e eólicos, o preço máximo da energia será de RS$ 137 por MWh.

Para empreendimentos térmicos, o preço-teto ficou em RS$ 209 por MWh. Para Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) ou hidrelétricas com potência igual ou inferior a 50 MW, o preço-teto será de RS$ 164 por MWh.

Os preços para termelétricas e PCHs foram ligeiramente elevados em relação à primeira versão do edital, aprovada no fim de agosto. Na época, o teto para termelétricas era de RS$ 197 o MWh e das fontes hídricas como PCHs, de RS$ 158.

O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, disse que a mudança nos valores partiu do Ministério de Minas e Energia, mas não tinha mais detalhes sobre o assunto.

Você pode gostar