Por bruno.dutra

Brasília - A Petrobras anunciou o atual  presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, como o novo presidente-executivo da estatal, após o pedido de demissão de Maria das Graças Foster nesta semana.

Bendine, funcionário de carreira do BB, está à frente do maior banco da América Latina desde 2009. Sob seu comando, a instituição estatal liderou uma ofensiva do governo petista para ampliar a oferta de crédito e baixar os juros, para atenuar os efeitos da crise financeira global na economia brasileira.

Por ser bastante alinhado às políticas do atual governo, a colocação de Bendine na liderança da Petrobras frustra expectativas de investidores e analistas de que o novo líder da petroleira viesse do mercado.

A escolha também indica as dificuldades que Dilma teve para costurar a sucessão na Petrobras de forma súbita, com a saída repentina de Graça Foster, como ela prefere ser chamada, e de cinco diretores da companhia.

“O Bendine é uma pessoa muito identificada com a primeira gestão do governo Dilma. O BB foi absolutamente comandado pelo governo na primeira gestão e a Petrobras precisaria de alguém mais independente, que peitasse o governo em determinadas situações e não fizesse loteamento de cargos", disse à Reuters o sócio da Órama Investimentos Álvaro Bandeira, no Rio de Janeiro.

Para Bandeira, nomes que vinham circulando na mídia para a Petrobras, como o de Murilo Ferreira, presidente da Vale, e o de José Carlos Grubisich, ex-presidente da Braskem, seriam opções melhores. "Pesa por não ser alguém do setor, mas pesa mais por ser identificado com a primeira gestão de Dilma”, afirmou.

O novo comando da empresa terá entre seus desafios iniciais a regularização da publicação das demonstrações financeiras da estatal. Isso em meio à apuração de um escândalo de corrupção que exigirá que a companhia realize baixas contábeis bilionárias de ativos sobrevalorizados.

Nova diretoria

Em nota, a Petrobras informou que seu Conselho de Administração também elegeu, por maioria, Ivan de Souza Monteiro como diretor Financeiro e de Relacionamento com Investidores, em substituição a Almir Guilherme Barbassa. Ivan Monteiro era vice-presidente de Gestão Financeira e de Relações com Investidores do Banco do Brasil, desde junho de 2009, onde já havia ocupado cargos de diretor Comercial, vice-presidente de Finanças, Mercado de Capitais e Relações com Investidores, além de presidente do Conselho de Supervisão da BB AG. 

Além disso, foram eleitos, por maioria, para exercerem interinamente a função de diretor os seguintes executivos:- A atual gerente executiva de Exploração e Produção Corporativa, Solange da Silva Guedes, como diretora de Exploração e Produção, em substituição a José Miranda Formigli Filho. Solange Guedes é doutora em Engenharia de Petróleo, com experiência de 30 anos na Petrobras, onde já ocupou diversas posições gerenciais, todas relacionadas à área de Exploração e Produção.

O atual gerente executivo de Logística do Abastecimento, Jorge Celestino Ramos, como diretor de Abastecimento, em substituição ao diretor José Carlos Cosenza. Jorge Celestino trabalha há 32 anos na Petrobras onde já ocupou diversas posições gerenciais na área de Abastecimento e na Petrobras Distribuidora. O atual gerente executivo de Gás e Energia Corporativo, Hugo Repsold Júnior, como diretor de Gás e Energia, em substituição a José Alcides Santoro Martins. Hugo Repsold trabalha há 30 anos na companhia, onde já ocupou diversas posições gerenciais nas áreas de Exploração e Produção, Estratégia e Desempenho Empresarial e Gás e Energia.

O atual gerente executivo de Engenharia para Empreendimentos Submarinos, Roberto Moro, como diretor de Engenharia, Tecnologia e Materiais em substituição a José Antônio de Figueiredo. Roberto Moro trabalha há 33 anos na Petrobras onde já ocupou diversas posições gerenciais na área de Engenharia.


Você pode gostar