STJ vai investigar Tião Viana e Luiz Fernando Pezão por Lava Jato

Pedidos de inquérito contra os governadores do Acre e do Rio de Janeiro foram feitos pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Ele também pediu ao STJ que investigue Sérgio Cabral

Por O Dia

Brasília - O Superior Tribunal de Justiça (STJ) abriu inquéritos contra os governadores do Acre, Tião Viana (PT), e do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), por possível envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras, investigado pela operação Lava Jato, informou a assessoria de imprensa do tribunal nesta quinta-feira.

Os pedidos de inquérito foram feitos pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também solicitou ao STJ que investigue o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral por crimes correlatos no mesmo esquema.

Pouco antes da divulgação formal da investigação no STJ, Pezão emitiu uma nota dizendo que respeita a decisão da PGR "para investigar a citação do seu nome em declarações dadas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa", mas classificou o depoimento do ex-dirigente, sob acordo de delação premiada, como "estapafúrdio".

"Estou à disposição da Justiça, só quero ser ouvido. Essa conversa nunca existiu. A acusação é falsa. Meu sigilo bancário está à disposição, só tenho uma conta. Minha declaração de bens é pública e também está disponível", disse o governador por meio de nota emitida pela assessoria de imprensa nesta quinta-feira.

Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou abertura de inquérito contra 49 investigados na operação Lava Jato, a maioria deles políticos com foro privilegiado.

Entre os investigados pelo Supremo estão os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

A participação de parlamentares e dos governadores nas irregularidades envolvendo a Petrobras é investigada pela Justiça com base em depoimentos firmados sob delação premiada do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef no âmbito da Lava Jato, da Polícia Federal.

Últimas de _legado_Notícia