Por bruno.dutra

Rio - Uma operação busca nesta quinta-feira prender acusados de envolvimento com fraudes previdenciárias no Rio de Janeiro. Acredita-se que o esquema provocava um prejuízo mensal de R$ 200 mil à Previdência Social. No total, 22 foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF).

Policiais federais cumprem dois mandados de prisão preventiva, 26 mandados de busca e apreensão e o afastamento de três servidores do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Federal (PF), o grupo atuava dividido em duas células, que agiam de maneira complementar.

Um núcleo é acusado de conceder benefícios de aposentadoria fictícios, aumentando artificialmente o tempo de contribuição do segurado ou pagando benefícios assistenciais ao idoso que não faziam jus ao seu recebimento.

O outro núcleo sacava os benefícios previdenciários irregulares por meio do recrutamento de idosos, que fingiam ser os beneficiários cadastrados. Um mesmo idoso chegou a assumir a identidade de dez pessoas.

Foram identificados mais de 350 benefícios pagos irregularmente nesse esquema. Acredita-se que o grupo tenha lesado o INSS em mais de R$ 7 milhões. Os denunciados respondem por crimes como corrupção passiva e ativa, formação de quadrilha, falsificação de documentos e estelionato. A investigação foi executada pela Força-Tarefa Previdenciária do Rio, que inclui a PF, o MPF e o Ministério da Previdência Social.

Você pode gostar