Rio de Janeiro é o terceiro pior na lista de cidades com trânsito caótico

Salvador e Recife também aparecem no ranking das 10 mais engarrafadas do mundo, feito por empresa de aplicativos para GPS

Por O Dia

Rio - Se os brasileiros em geral já estão entre os que mais sofrem com o trânsito no mundo, a situação dos cariocas é ainda mais crítica. O Rio de Janeiro foi apontado como a terceira pior cidade em congestionamentos, entre as 146 metrópoles de 36 países avaliadas pela empresa holandesa que desenvolve aplicativos para GPS, TomTom. Curiosamente, São Paulo, que tem péssima fama neste quesito, ficou com a 36ª posição. Entre as dez mais engarrafadas, o Brasil ainda marca presença com Salvador, em quinto, e Recife, em sexto lugar.

O ranking de 2014 considera o tempo extra que se gasta nos deslocamentos em relação a uma viagem com as vias livres. Os motoristas cariocas, segundo o Índice de Tráfego da empresa, gastam 51% a mais de tempo, em média, para se deslocar pela cidade por causa do trânsito ruim. Ou seja, os deslocamentos que os carros deveriam fazer, com fluxo bom, em meia hora são realizados em 45,3 minutos, em média. A primeira posição do ranking foi de Istambul, na Turquia, que obteve um índice de 58%. A Cidade do México ficou em segundo, com 55%. São Paulo ficou com um índice de 33%. Salvador e Recife, com 46% e 45%, respectivamente.

Quando a avaliação é feita somente no horário de pico da volta do trabalho, o Rio ficou em oitavo no ranking dos piores, com um índice de 81%. Isso significa que o carioca leva, no fim da tarde, 54,3 minutos em média para fazer um trajeto que seria efetuado em meia hora, em condições normais. Neste quesito, Recife foi a pior cidade brasileira, na sexta posição do ranking, com índice de 82%. Istambul também lidera nesta comparação. Segundo o estudo, cada carioca que mora a meia hora do trabalho, em condições boas de tráfego, perde 93 horas por ano nos engarrafamentos. Ou seja, quatro dias jogados fora só no trânsito da volta para casa em 2014. Nessa mesma comparação, os motoristas de Istambul e Cidade do México desperdiçam 125 e 102 horas.

Para a especialista em mobilidade urbana da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Eva Vider, o resultado foi influenciado pelas obras que estão em curso na cidade e prejudicam o trânsito. “Uma comparação mais justa seria em 2016, quando os projetos estiverem concluídos. Normalmente, o Rio tem um trânsito melhor, já que aqui se usa mais transporte público do em São Paulo”, afirmou ela lembrando que quase metade dos deslocamentos na capital paulista são feitos em transporte individual. Já no Rio, esse percentual fica em 30%, segundo ela.

Últimas de _legado_Notícia