Por douglas.nunes

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), elaborado em março, estima que o país feche o ano de 2015 com uma produção agrícola de 199,7 milhões de toneladas. A estimativa é 0,1% superior à previsão feita em fevereiro pelo IBGE. A nova estimativa para a safra prevê acréscimo de 139,2 mil toneladas.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) informou, hoje, que o Brasil deve produzir ao menos 200,7 milhões de toneladas de grãos na safra 2014/2015. Os cálculos do IBGE e da Conab são feitos com base em metodologias diferentes.

Caso a estimativa se concretize, o país terá – segundo o IBGE – safra de cereais, leguminosas e oleaginosas 3,6% maior do que em 2014. São esperados aumentos na produção de duas das três principais lavouras de grãos, em relação a 2014: arroz (0,9%) e soja (9,7%). Por outro lado, a estimativa é que haja uma redução de 3,7% na produção do milho.

Dentre os 26 principais produtos analisados, 12 deverão ter aumento na produção, entre eles amendoim em casca primeira safra (0,7%), amendoim em casca segunda safra (3,9%), cevada em grão (23,1%), feijão em grão primeira safra (7,0%), feijão em grão segunda safra (4,9%), mandioca (5,1%) e trigo em grão (24,9%).

Quatorze produtos deverão ter queda na produção, entre eles batata-inglesa primeira safra (0,8%), batata-inglesa segunda safra (2,4%), batata-inglesa terceira safra (19,4%), café em grão-arábica (1,9%), café em grão-canephora (15,2%), cana-de-açúcar (2,5%), cebola (7,2%), feijão em grão terceira safra (11,4%) e laranja (7,5%).

A estimativa da área a ser colhida é 57,3 milhões de hectares, ou seja, 1,7% maior que a área colhida em 2014 e 0,2% maior na comparação com a estimativa de fevereiro.

Você pode gostar