Por monica.lima

Mais de 90% das pessoas não reportariam condutas antiéticas no ambiente profissional, principalmente por duas razões: temem retaliação por parte de colegas ou gestores (97%) e/ou acreditam que nenhuma ação corretiva será tomada (94%). Esse é um dos principais resultados da pesquisa “Ética nas Organizações”, feita com 812 profissionais de diversos segmentos em empresas públicas, privadas ou de capital misto, pelo Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Educação Continuada (CPDEC), em parceria com o Núcleo de Economia Industrial e Tecnologia da Unicamp (Neit).

Outro forte motivo para que as ações antiéticas não sejam reportadas é o receio de que a confidencialidade não seja mantida (92%), ainda que a empresa tenha ferramentas para que os funcionários comuniquem certas situações de forma anônima (66% das empresas disponibilizam tais mecanismos).

A maioria dos entrevistados está inserida no mercado de trabalho há mais de uma década (73%); atua em empresas de grande porte (57%), com mais de 1.001 funcionários; e exercem cargos de liderança (87%), sendo que 68% são diretores ou gerentes.

Você pode gostar