Tribunal italiano suspende extradição de Pizzolato

Presidente da Primeira Câmara do tribunal, Luigi Tosti atendeu o recurso alegando à irreparabilidade do dano no caso de envio para o Brasil antes do julgamento no dia 3 de junho

Por O Dia

O Tribunal Administrativo Regional do Lácio concedeu liminar, nesta quarta-feira, que suspende, por 20 dias, a extradição do ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato.

O presidente da primeira câmara do tribunal, Luigi Tosti atendeu o recurso impetrado pela defesa alegando à irreparabilidade do dano que Pizzolato estaria submetido, no caso de envio para o Brasil, antes que a corte analisasse o recurso. O julgamento ficou marcado para 3 de junho.

O argumento da defesa é que o ex-diretor do Banco do Brasil se dispõe a cumprir sua pena de prisão na Itália. O recurso tem como base o tratado judicial entre Brasil e Itália ratificado em 2014. Na lei, fica permitido que um italiano que tenha cometido crime no Brasil cumpra sua pena na Itália e vice-versa.

Mensalão

Com dupla cidadania, Pizzolato foi acusado de ser um dos operadores financeiros do mensalão e fugiu para a Itália pouco antes de ser condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a doze anos e sete meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro.

Últimas de _legado_Notícia