Primeira-dama de Minas 'viu com surpresa' operação da PF

Segundo advogado, Carolina Oliveira 'acredita que investigação vai servir para esclarecimento de quaisquer dúvidas'. Polícia Federal visa desarticular esquema de lavagem de dinheiro

Por O Dia

Mulher do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, Carolina Oliveira viu com surpresa a operação de busca e apreensão feita hoje (29) pela Polícia Federal (PF) na residência onde morou em Brasília, informou o advogado dele, Pierpaolo Bottini, ao falar sobre as investigações no âmbito da Operação Acrônimo. Entre os endereços visitados, os agentes envolvidos na operação de busca e apreensão estiveram em um apartamento usado até o ano passado pela mulher do governador. As investigações visam a desarticular um esquema de lavagem de dinheiro.

“A senhora Carolina Oliveira tomou conhecimento das investigações realizadas pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira, mas viu com surpresa a operação de busca e apreensão realizada em sua antiga residência, em Brasília”, disse Bottini. O advogado acrescentou ainda que a primeira-dama de Minas Gerais “acredita que a própria investigação vai servir para o esclarecimento de quaisquer dúvidas”.

A PF cumpre, desde a manhã desta sexta-feira, 90 mandados de busca e apreensão em Minas Gerais, no Rio Grande do Sul, em Goiás e no Distrito Federal. Cerca de 30 endereços de pessoas físicas, incluindo o apartamento de Carolina Oliveira, e 60 de pessoas jurídicas são alvo da operação. De acordo com o delegado responsável pela ação, Dennis Kali, o governador de Minas Gerais não é alvo das investigações.

Além das buscas e apreensões, a Polícia Federal prendeu cinco pessoas. Entre elas, Benedito de Oliveira Neto, conhecido como Bené, dono da Gráfica Brasil. No ano passado, Bené atuou na campanha do então candidato e atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel. Também foi preso o ex-assessor do Ministério das Cidades Marcier Trombiere.

Últimas de _legado_Notícia