Governo se diz confiante na aprovação das contas de Dilma pelo TCU

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto,diz que está confiante da legalidade de todos os atos da presidenta

Por O Dia

Brasília - O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, disse nesta quarta-feira que o governo está confiante quanto a aprovação das contas de campanha da presidenta Dilma Rousseff pelo Tribunal de Contas da União (TCU). “Estamos absolutamente confiantes por conta da qualidade e da legalidade de todos os atos da presidenta”, disse após participar do Programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República em parceria com a EBC Serviços.

O governo tem até o dia 22 deste mês para explicar pontos questionados pelo TCU, responsável pela análise das contas do Executivo. No último dia 17, o TCU adiou por 30 dias o julgamento das contas de 2014 do governo federal. O ministro Augusto Nardes pediu explicações sobre indícios de irregularidades apontadas pelo tribunal, por descumprimento das leis de Responsabilidade Fiscal e Orçamentária Anual.

Com relação às declarações da oposição feitas ao governo da presidenta Dilma Rousseff ter “atitudes golpistas”, o ministro criticou o posicionamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG). “É absolutamente inaceitável. A sociedade democrática reage a estas iniciativas que buscam romper uma legalidade democrática”.

O ministro defendeu também a atuação do vice-presidente Michel Temer como articulador político do governo. O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) disse no início deste mês que defende a saída de Temer da articulação. Rossetto ressaltou que Temer continua na pasta e vem se dedicando à construção e colaborando para uma agenda positiva. “Continua trabalhando. Trabalhando muito e trabalhando bem.

O vice-presidente tem se dedicado muito à construção e aprovação de projetos importante para o nosso pais.”

Durante o Programa Bom dia Ministro, Rossetto falou sobre Programa de Proteção ao Emprego (PPE), lançado por medida provisória na noite da última segunda-feira. Ele acredita que o programa será aprovado no Congresso Nacional já que o tema vem sendo debatido tanto com as centrais sindicais e com os parlamentares. “ É uma iniciativa para preservar empregos, o que é muito importante em um momento de crise. O governo trabalha para que rapidamente a economia volte a ter um padrão de crescimento e é este crescimento que vai ampliar a oferta de emprego a exemplo do que o Brasil viveu em todos estes últimos anos”.

O ministro reafirmou que acredita que a economia do país se recupere em 2016 e que o principal objetivo do programa é manter empregos. Sobre a inflação no país, Rossetto disse que o governo está confiante na redução do valor para o segundo semestre. “Estamos muito confiantes na redução da inflação deste segundo semestre. Todas as iniciativas começam a partir do segundo semestre sinalizar recuperação da atividade econômica e estas iniciativas são fundamentais para recuperar o crescimento da economia e geração de emprego”.

Últimas de _legado_Notícia