Pelo menos dois manifestantes são feridos em protesto pró e anti-Lula

Terminou a manifestação em frente a fórum onde Lula e sua esposa iriam depor em São Paulo

Por O Dia

São Paulo - Terminou agora a tarde a manifestação de grupos pró e anti-Lula na frente do Fórum Criminal da Barra Funda, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua mulher, Marisa Letícia, deveriam depor nesta quarta-feira.

Pelo menos dois integrantes da Central de Movimentos Populares (CMP), que defendiam Lula, foram feridos e precisaram de atendimento médico. Marcelo Reis, líder do grupo antipetista Revoltados On Line foi agredido com socos na cara. Embora o depoimento, parte de uma investigação sobre o tríplex ao qual a família de Lula teria direito no Guarujá, tenha sido suspenso pelo Conselho Nacional do Ministério Público ontem, manifestantes dos dois lados mantiveram os protestos na porta do Fórum. 

Manifestantes e Policiais Militares entram em confronto em frente ao Fórum Criminal da Barra Funda%2C Zona Oeste de São Paulo%2C durante protesto pró LulaTaba Benedicto/ Parceiros/ Agência O Dia

Raimundo Bonfim, coordenador da CMP, disse que não foi possível segurar os manifestantes pró-Lula diante das provocações do grupo anti-PT. "Não tinha como segurar a reação, foi muita provocação", afirmou, ressaltando que a ação da PM favoreceu o grupo anti-Lula.

Por sua vez, Carla Zambelli, porta-voz da Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos, destacou que o comportamento dos grupos antipetistas foi mais contido. "Quero destacar que ninguém do nosso grupo invadiu o lado de lá", afirmou.

As provocações de parte a parte começaram assim que os dois grupos chegaram ao Fórum, mas a Polícia Militar evitou confrontos. Em maior número, os defensores do ex-presidente avisaram que não tolerariam o uso, por parte dos adversários, do boneco Pixuleco, que retrata Lula como presidiário. A PM tentou argumentar com os grupos anti-PT, mas os manifestantes decidiram encher o boneco por volta do meio-dia.

Defensores do ex-presidente tentaram rasgar o boneco Pixuleco, dando início à confusão. A PM reagiu com bombas de gás e cassetetes, manifestantes responderam com pedradas e a frente do Fórum virou uma praça de guerra. A confusão só terminou quando um grupo pequeno pró-Lula conseguiu furar o bloqueio e rasgar o boneco. A Polícia Militar não informou o número de detidos, mas pelo menos uma pessoa teria sido levada à delegacia. A Avenida Doutor Abrahão Ribeiro foi liberada.

Últimas de Brasil