Monica Moura diz ter conta não declarada ao Fisco no exterior

Mulher do marqueteiro de Dilma depôs à PF

Por O Dia

Monica está presa em Curitiba Reprodução

Brasília - Em um depoimento de quatro horas nesta quarta-feira à Polícia Federal, Monica Moura, mulher do publicitário João Santana, negou que os recursos recebidos pelo casal no exterior sejam provenientes do esquema de corrupção da Petrobras. Ela admitiu, no entanto, que mantém contas bancárias não declaradas ao Fisco brasileiro no exterior. Segundo o advogado do casal, Fábio Tofic, não existe nenhuma pessoa presa no Brasil por este crime hoje.

“É um crime pelo qual não existe uma pessoa só presa neste país. É um crime não digo leve, mas um crime que não enseja a prisão de qualquer cidadão no país”, disse Tofic. E acrescentou: “Não existe nenhuma prova, nenhum elemento que sustente, hoje, a teoria que foi criada pelo Ministério Público de que esses recursos seriam provenientes de corrupção e eles saberiam que é proveniente de corrupção ou de campanhas brasileiras. Os recursos são lícitos, não envolve campanhas brasileiras”.

O marqueteiro João Santana omitiu de suas declarações de renda de 2010 a 2014 a participação em cinco empresas mantidas por ele no exterior, entre elas a Shellbill Finance S/A, offshore usada para receber US$ 7,5 milhões da Odebrecht e do representante de um fornecedor da Petrobras, Zwi Skornicki. A descoberta está em relatório da Receita Federal usado por investigadores na 23ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Acarajé e desencadeada esta semana.

As informações sobre quatro das cinco empresas identificadas pela PF foram corrigidas pelo marqueteiro em novembro de 2015, durante as investigações da Lava Jato, por meio de declarações retificadoras.

Últimas de Brasil