'Obra minha não cai nem com explosão', diz Maluf sobre viaduto de São Paulo

Um acidente entre dois caminhões no dia 13 seguido de uma explosão danificou a estrutura elevada do viaduto Santo Amaro e causou o fechamento para a circulação de veículos

Por O Dia

São Paulo - O deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), ex-prefeito e ex-governador de São Paulo, comemorou na tarde dessa quarta-feira, a decisão da Prefeitura de desistir de demolir o Viaduto Santo Amaro, na Zona Sul da capital paulista, e reabri-lo parcialmente para o tráfego de ônibus. "A prefeitura de São Paulo desistiu de demolir o viaduto Santo Amaro, que é minha obra dos anos 70. Além de ser uma obra boa pois resistiu a explosão, deixaria a região um caos sem ela. Obra minha não cai nem com explosão", escreveu Maluf em sua página no Facebook.

LEIA TAMBÉM: Após acidente viaduto Santo Amaro é reaberto parcialmente em São Paulo

Viaduto Santo Amaro segue interditado após acidente com dois caminhões

Paulo Maluf%2C deputado federal (PP-SP)Divulgação

Um acidente entre dois caminhões no dia 13 seguido de uma explosão danificou a estrutura elevada e causou o fechamento para a circulação de veículos. Na madrugada desta quinta-feira, 25, o viaduto foi reaberto parcialmente somente para ônibus.

Duas faixas estão liberadas, uma em cada sentido, desde as 5 horas. Agentes da Companhia de Engenharia do Tráfego (CET) monitoram motoristas que passam pela região. Ainda segundo a CET a mudança ainda provoca reflexo no trânsito.

A administração municipal se baseou em três laudos para permitir o trânsito sobre o viaduto: um feito pela empresa Concremat, outro pela Falcão Bauer e o último pelo professor da Universidade de São Paulo (USP) Pedro Afonso de Oliveira Almeida engenheiro civil especialista em resistência de materiais.

De acordo com a Prefeitura, os laudos das empresas de engenharia já indicavam que o viaduto não precisaria ser demolido, mas o professor foi contratado para atestar os resultados. “Aguenta 100% (de movimento)? Aguenta. Mas a recomendação é começar gradualmente (a circulação sobre o elevado)”, disse o prefeito Fernando Haddad (PT).

Últimas de Brasil