Políticos do PT participam de manifestação em São Bernardo do Campo, em SP

Em São Paulo, dezenas de militantes do PT que estavam reunidos na sede nacional do partido foram para o aeroporto de Congonhas 'defender' o ex-presidente Lula, que presta depoimento no local

Por O Dia

São Paulo - Políticos do Partido dos Trabalhadores de São Bernardo do Campo também estão presentes à manifestação que acontece em frente à residência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desde cedo desta sexta-feira. "Estão rasgando a Constituição e essa deveria ser uma tristeza de todo o povo brasileiro", disse, chorando, a deputado estadual (PT) Ana do Carmo, que está no local desde cerca de 8 horas.

Já o presidente da Câmara Municipal, José Luiz Ferrarezi, que também chegou cedo, acabou se envolvendo num confronto, na tentativa de apaziguar os ânimos. Depois de ser agredido, ele está se dirigindo à delegacia, onde fará um boletim de ocorrência.

O movimento a favor e contra o ex-presidente Lula continua crescendo em São Bernardo. Os manifestantes presentes ao local proferem palavras de ordem, tal qual torcidas de futebol num estádio e, no momento, a política consegue manter a situação sob controle.

Em São Paulo, dezenas de militantes do PT que estavam reunidos na sede nacional do partido foram para o aeroporto de Congonhas "defender" o ex-presidente Lula, que presta depoimento no local

O movimento é uma resposta a um vídeo postado pelo presidente do PT, Rui Falcão, no qual ele convoca os militantes petistas a promoverem uma "vigília" nos diretórios da legenda. Os militantes hostilizaram jornalistas da Rede Globo e entoaram palavras de ordem contra o golpe. 

"Acredito que haverá uma radicalização da luta política. O que aconteceu no dia de hoje foi grave. O Lula nunca se recusou da dar esclarecimentos. Houve uma armação, um espetáculo. Estão cutucando onça com vara curta. Querem transformar Brasil em uma Venezuela", disse o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), vice-líder do governo na Câmara.

Últimas de Brasil