Em delação, Delcídio teria citado Aécio Neves e senadores do PMDB

Declaração do petista é mantida sob sigilo na Procuradoria-Geral da República e no STF, onde os termos do acordo devem ser homologados pelo ministro Teori Zavascki nos próximos dias

Por O Dia

Brasília - Em delação premiada, o ex-líder do governo no Senado Delcídio Amaral (PT-MS) citou não apenas os nomes da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas também de colegas da Casa. A cúpula do PMDB no Senado e o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), foram citados por Delcídio, segundo fontes com acesso às investigações da Operação Lava Jato.

A delação do petista é mantida sob sigilo na Procuradoria-Geral da República e no Supremo Tribunal Federal, onde os termos do acordo devem ser homologados pelo ministro Teori Zavascki nos próximos dias.

Senador Aécio Neves (MG), teria sido citado por Delcídio em delação premiadaGabriela Korossy / Câmara dos Deputados

Não há informações se Delcídio, ao fazer a menção aos senadores, indicou a eventual prática de crimes pelos colegas. A PGR deve analisar a menção de cada um dos nomes, como praxe a partir dos acordos de delação premiada, e avaliar se há indícios que fundamentem um pedido de abertura de inquérito ou não.

A cúpula peemedebista no Senado já é alvo de investigações da Operação Lava Jato. O presidente da Casa, senador Renan Calheiros (AL), é investigado em ao menos seis inquéritos abertos contra ele perante o Supremo Tribunal Federal por suposta participação no esquema de corrupção na Petrobras.

Também estão na mira da Lava Jato os senadores Edison Lobão (MA), Romero Jucá (RR), Valdir Raupp (RO) e Jader Barbalho (PA). Renan e Jader, inclusive, já são alvo de inquérito mantido sob sigilo na Corte ao lado de Delcidio. A investigação foi aberta no final do ano passado, portanto antes do petista celebrar o acordo de colaboração premiada.

'DNA do PT'

Em vídeo no Facebook, Aécio afirmou que o escândalo de corrupção na Petrobras tem o "DNA do PT" e que a possível menção a seu nome é "mais uma tentativa de vincular a oposição na Operação Lava Jato". Ele afirmou que outras tentativas foram arquivadas, pois foram "desmascaradas". "Nada disso me intimida", afirmou Aécio, que aproveitou a publicação para fazer uma convocação para a manifestação contra o governo marcada para domingo.

Últimas de Brasil