Temer se reúne com Aécio; aliados do vice discutem nome para Fazenda, diz jornal

Vice-presidente da República se reuniu em São Paulo na noite de segunda-feira com o presidente do PSDB, para discutir uma 'agenda emergencial para o Brasil'

Por O Dia

Brasília - O vice-presidente da República, Michel Temer, que é presidente do PMDB, se reuniu em São Paulo na noite da última segunda-feira com o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), para discutir uma "agenda emergencial para o Brasil", enquanto aliados do vice avaliam nomes para ocupar o Ministério da Fazenda em um eventual governo de Temer, segundo o jornal Folha de S.Paulo.

Reportagem publicada nesta segunda-feira relata que os ex-presidentes do Banco Central Armínio Fraga e Henrique Meirelles são os nomes preferidos para comandar a economia caso a presidente Dilma Rousseff sofra impeachment e seja substituída por Temer.

Michel Temer (PMDB) e Aécio Neves (PSDB)Reprodução

Em entrevista à Folha, porém, Armínio, disse que não aceitaria um convite do governo de transição. O senador José Serra (PSDB-SP), também economista, seria o preferido para a Saúde em um eventual governo Temer, ou poderia ocupar o Ministério do Planejamento, segundo o jornal. Em outra reportagem, à Folha diz que Temer e Aécio se reuniram para discutir os termos de uma adesão tucana a uma gestão comandada pelo peemedebista.

Aécio disse à Folha que os dois trataram de "uma agenda emergencial para o Brasil". Segundo ele, as conversas com o vice não deverão se desenrolar em torno de "cargos", mas de "propostas". Diante do agravamento da crise, o PMDB, maior partido da coalizão governista, fará uma reunião na semana que vem para discutir o desembarque do governo.

O DIA procurou o vice-presidente da República para ele comentar o encontro. Por telefone, sua assessoria confirmou a reunião com o senador tucano na capital paulista. No entanto, não disse qual foi o teor da conversar tratada. Ainda de acordo com a assessoria, o encontro não estava na agenda do vice-presidente. Perguntado sobre as possíveis indicações para ministérios caso a presidenta Dilma sofra impeachment e seja substituída, a assessoria de Michel Temer afirmou que ele "não comenta mera especulação".

Com informações da Reuters

Últimas de Brasil