Na Constituição não existe 'se não gosto do governo, ele cai', diz Dilma

Presidente pediu que a democracia seja respeitada e frisou a necessidade de cumprimento da Constituição de 1988

Por O Dia

Rio - Enquanto puxava o discurso de que impeachment sem crime de responsabilidade é golpe, a presidente Dilma Rousseff pediu que a democracia seja respeitada e classificou esse como "um direito alienável". A presidente frisou a necessidade de cumprimento da Constituição de 1988 e afirmou que ela não cai do céu e veio após um processo difícil de ditadura. "Não existe essa possibilidade de presidente ser eleito por voto proporcional", afirmou.

Presidente Dilma Rousseff durante entrevista para veículos da imprensa internacionalDivulgação / Presidência da República

Por mais de uma vez, Dilma afirmou que não cometeu crime de responsabilidade, que o presidente só pode ser julgado pelo que acontece em seu mandato e lembrou que as contas de 2015 só serão apresentadas em abril, ainda não foram julgadas. "Querem tirar o governo para golpear direito da população", disse a presidente.

Durante seu discurso no lançamento de uma nova etapa do Minha Casa, Minha Vida, a presidente pediu que a constituição de 1988 seja respeitada e destacou que, no presidencialismo, "não existe essa conversa de que, se eu não gosto do governo, então ele cai" Dilma afirmou ainda que a eleição direta representa a maioria e classificou como má-fé dizer que por isso todo impeachment está correto. "Nosso regime é presidencialista e o presidente tem que ser eleito através de eleição direta e livre. Essa eleição tem de representar a maioria do povo brasileiro e isso está previsto na constituição", disse.

Últimas de Brasil