Sucesso na Carreira: Qual é o melhor momento para pedir?

Em tempo de crise e de mercado de trabalho recessivo é preciso analisar os riscos de uma mudança de emprego

Por O Dia

Rio - O perfil dos jovens que estão entrando no mercado de trabalho mudou em relação às gerações anteriores. Eles nasceram na era da tecnologia, são criativos, proativos e imediatistas. Por isso, eles não ficam acomodados se a situação na empresa não os agrada. Porém, em tempo de crise e de mercado de trabalho recessivo é preciso analisar os riscos de uma mudança de emprego. A dica é, antes de mudar, além de analisar todo o pacote de remuneração da empresa e além de considerar salário e os benefícios da nova empresa, deve-se incluir fatores como oportunidades de crescimento e solidez da empresa no mercado.  Veja outras dicas.

PERGUNTA E RESPOSTA

Estou insatisfeito com o meu emprego. Há um ano peço aumento para minha chefe e pergunto sobre os planos da empresa para mim e ela evita o assunto. Devo pressioná-la?,  Sávio, Glória

Olá, Sávio! Para atender a expectativa da mão de obra jovem, o mercado de trabalho vem mudando a forma de recompensar os profissionais. Hoje existem novos itens incluídos no “pacote” de recompensas oferecido pelas empresas, como: as oportunidades de desenvolvimento (treinamentos que proporcionarão crescimento na carreira), a qualidade do ambiente de trabalho (empresa ética) e, claro, uma boa remuneração (salário, benefícios, incentivos). Se após analisar esse pacote, sua insatisfação continuar, será preciso avaliar se é um bom momento para conversar com sua chefe.

O mercado de trabalho está desaquecido e a concorrência acirrada. Partindo do princípio de que ninguém é insubstituível, caso você pressione sua chefe, pode ser que ela opte por substituí-lo. Ela pode até ter interesse em sua permanência e querer reajustar o seu salário, mas e se o momento não lhe permitir?

Mas qual seria o momento mais favorável para negociar um aumento ou promoção? A empresa teve resultados financeiros positivos, seu salário está defasado em relação ao mercado e ao dos colegas que ocupam a mesma função na empresa, e você ultrapassou as metas? Se a resposta for “sim”, prossiga!

Deixe claro que sua expectativa de aumento salarial ocorre em função da sua experiência acumulada e de sua produtividade. Mostre seus resultados em números. Nunca apresente argumentos pessoais como, por exemplo, estar com dívidas.

Caso sua chefe confirme que não haverá aumento salarial e não tenha planos para seu futuro, não demonstre irritação ou diminua sua produtividade. Esse pode ser um bom motivo para começar a enviar currículos para outras empresas.

Janaina Ferreira é coach e professora do Ibmec

Últimas de Brasil