Novata no Conselho de Ética deverá salvar Cunha

Tia Eron (PRB-BA), que substituiu Fausto Pinato (PP-SP), confessa “admiração” pelo presidente da Câmara

Por O Dia

Brasília - Com um discurso ambíguo, a deputada Tia Eron (PRB-BA) estreou ontem no Conselho de Ética defendendo passar o país a limpo, mas ao mesmo tempo elogiando o desempenho de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no comando da Câmara. Hoje, o voto da deputada é considerado decisivo para o futuro do mandato do peemedebista, que responde a processo por quebra de decoro parlamentar no colegiado.

Recebida com desconfiança pelos colegas do conselho, Tia Eron substitui o ex-relator do caso, deputado Fausto Pinato (PP), que renunciou à vaga e ao cargo de segundo vice-presidente do grupo. Ao deixar o PRB, Pinato alegou que entendeu por bem abrir espaço para seu antigo partido no colegiado. “Não sou homem de barganhas e muito menos de pressões”, respondeu aos conselheiros

A deputada Tia Eron integra desde ontem o Conselho de ÉticaDivulgação

Em sua primeira participação no conselho, Tia Eron disse que quer exercer o direito de, antes de ser julgada pelos colegas, apreciar os autos. “Reconheço o grande compromisso dessa Casa em fazer com que o Brasil seja passado a limpo e quero fazer parte dessa história”, afirmou. Ela reclamou que existe “um senso comum e perverso” no grupo, fazendo juízo de valor sobre sua postura no colegiado. “Quero deixar claro do direito que me reserva de fazer a apreciação desse processo”, enfatizou a deputada, que integra a bancada evangélica.

A parlamentar foi uma das eleitoras de Cunha na eleição para a presidência da Casa, no ano passado. Tia Eron afirmou que sob a direção de Cunha, a Câmara “produziu como nunca”. “Claro que eu tenho de comemorar, isso é um grande ganho político para a população brasileira”, afirmou. Ela declarou que cumprirá sua missão partidária “com cautela e responsabilidade”. “Me coloco como soldada da minha bancada”, emendou.


Últimas de Brasil