Lula pede a deputados que não caiam no ‘canto da sereia’

Em vídeo, ex-presidente repete que impeachment 'é golpe'

Por O Dia

Brasília - Articulador informal do governo para tentar salvar o mandato de Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai dedicar o fim de semana à caça de votos contra o impeachment. Lula ficará em Brasília até que saia o resultado da votação do pedido pelos deputados no domingo à noite.

O ex-presidente gravou nesta sexta-feira, em Brasília, uma mensagem ao país e aos deputados sobre a votação da admissibilidade da denúncia pela Câmara. No vídeo, Lula diz que o impeachment é golpe e que, se for aprovado, agravará a crise. Ele diz que ninguém que não teve a legitimidade do voto conseguirá governar o país e contará com o respeito da população.

Em mensagem gravada%2C Lula faz um apelo%3A “Vamos derrotar o impeachment e encerrar de vez essa crise”Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Segundo o Instituto Lula, que divulgou o vídeo, o ex-presidente passou a semana conversando com lideranças políticas “sobre a necessidade de garantir a democracia e não deixar um golpe acontecer”.

“Lula alerta os deputados que o esforço para o país ser reconhecido como uma nação com instituições sólidas pode ser jogado fora por um passo impensado no próximo domingo. E pede que os parlamentares não ‘embarquem em aventuras’, acreditando no canto da sereia dos que sentam na cadeira antes da hora”.

E segue: “derrubar um governo eleito democraticamente sem que haja um crime de responsabilidade não vai consertar nada. Só vai agravar a crise”, afirma nota do Instituto Lula.

Em sua mensagem, Lula reafirma a confiança na vitória da democracia no domingo: “Vamos derrotar o impeachment e encerrar de vez essa crise”. E anuncia que a partir de segunda-feira, independente de cargos, estará empenhado, junto com a presidente Dilma, para que o Brasil tenha um novo modo de governar. “Nessa próxima etapa, vou usar minha experiência de ex-presidente para ajudar na reconstrução do diálogo e unir o país”.

A votação para decidir se o processo de afastamento segue em frente ou é arquivado está prevista para acontecer amanhã.

Últimas de Brasil