Marco Aurélio nega mais duas ações que pediam anulação do impeachment

Pedidos foram protocolados pelo PDT e um advogado paulista

Por O Dia

Brasília - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio rejeitou neste domingo mais duas ações que pediam anulação do processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. Os pedidos foram protocolados pelo PDT e um advogado paulista. Nas duas decisões, Marco Aurélio entendeu que as ações protocoladas são inadequadas para questionar a legalidade do processo.

Na ação protocolada pelo PDT, o partido alegou que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não cumpriu os requisitos constitucionais da moralidade e da impessoalidade ao proferir a decisão individual que abriu, em dezembro do ano passado, o processo de impeachment. Para a legenda, Cunha abriu processo em troca de votos favoráveis ao processo disciplinar a que ele responde no Conselho de Ética da Casa.

LEIA MAIS:

Jean Wyllys vai ao STF tentar impedir que Cunha vote no impeachment

STF rejeita ação do governo para barrar votação do impeachment no domingo

STF tem sessão extra para julgar ações que tentam barrar impeachment

O advogado Edgard Antônio dos Santos pediu a suspensão do processo de impeachment por entender que a denúncia por crime de responsabilidade não tem fundamento e que as acusações foram "arquitetadas visando à instruc a o e à montagem" do processo de afastamento de Dilma.

Na quinta-feira, após sete horas de sessão, o plenário do Supremo negou mais cinco açõescontestando o processo de impeachment.

Últimas de Brasil