Réus na Lava Jato votam contra Dilma

Dos 21 deputados federais envolvidos no Petrolão, 16 se posicionaram a favor do impeachment

Por O Dia

Brasília - A maioria dos deputados investigados pela Operação Lava Jato votou a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Dos 21 deputados federais envolvidos no esquema de corrupção da Petrobrás, 16 se posicionaram pela saída da petista — ou seja, 71,19%. Quatro (19,04%) votaram contra o impeachment e um (4,76%) faltou à sessão.

Pelo levantamento feito pelo Portal EBC com base em dados divulgados pelo Projeto Excelências, da ONG Transparência Brasil, a maior parte dos deputados que responde a processos na Lava Jato é do PP: um total de 16. Desses, 14 foram pró-impeachment. Apenas Waldir Maranhão (PP-MA) e Roberto Britto (PP-BA) votaram a favor de Dilma.

Partidos dos deputados investigados na Lava JatoArte%3A O Dia

O PT, PMDB e DEM também têm deputados na lista da Lava Jato. Os dois do PT, José Mentor (SP) e Vander Loubet (MS), votaram contra o afastamento da presidente. Já Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, e Missionário José Olímpio (DEM-SP) votaram sim à saída de Dilma. Aníbal Gomes (PMDB-CE) faltou à sessão por problemas médicos.

Atualmente, nada menos que 298 do total de 513 deputados federais já foram condenados ou respondem a processos na Justiça, incluindo a eleitoral, ou nos tribunais de contas. O número representa o total de 58,09% dos parlamentares que compõem a Câmara dos Deputados. Os processos estão em diversas instâncias e vão desde crimes eleitorais até processos de má gestão do dinheiro público e corrupção.

De acordo com a Transparência Brasil, o primeiro-secretário da Mesa Diretora da Câmara, Beto Mansur (PRB-SP), é o recordista em número de processos na Justiça: um total de 47. A maioria data da época em que era prefeito de Santos (SP) e foi julgada pelo Tribunal de Contas de São Paulo (TCE-SP).

Em segundo lugar na lista de deputados que mais respondem a ações na Justiça está Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PI), com 35 processos. Washington Reis (PMDB-RJ), com 30 processos, Mauro Mariani (PMDB-SC), com 27 ações, e Roberto Góes (PDT-AP), com 25 processos, completam a lista dos cinco com mais pendências na Justiça.

Com portal EBC

Últimas de Brasil