José de Abreu: Cunha é ladrão, não pode ‘impichar’ a Dilma

Ator participou do Domingão do Faustão e falou sobre sua carreira, momento político do país e a confusão em restaurante

Por O Dia

São Paulo - José de Abreu relatou alguns acontecimentos da discussão ocorrida na última sexta-feira, num restaurante japonês na cidade de São Paulo, no 'Domingão do Faustão', na noite deste domingo. O ator disse que falava com responsáveis do restaurante, relatando as diferenças entre a comida japonesa produzida no Japão e no Brasil e no momento em que retornou à mesa, se deparou com um casal ofendendo a sua esposa.

Saiba mais: José de Abreu cospe na cara de homem em restaurante de São Paulo

Segundo ele, o homem disse: “É muito fácil você que é petista e rouba da Lei Rouanet vir num restaurante e comer comida japonesa”. Ele disse também que foi chamado de safado, filho da p. e sua mulher agredida com palavreados chulos.

Mesmo após a repercussão negativa que o ato teve na internet, o ator afirmou que foi a vítima. “Uma atitude que é feita por reação não deve ser levada em conta. A dele (o homem que o agrediu verbalmente) foi pensada, ele poderia ter evitado”, argumentou.

Zé de Abreu falou sobre o caso ocorrido na última sexta-feira em que cuspiu em um advogado que teria ofendido sua mulherReprodução/TV Globo

Sobre o cenário político, Zé de Abreu citou a frase do ministro do STF, Marco Aurélio Melo, de que impeachment sem crime de responsabilidade é golpe. “Impeachment sem crime de responsabilidade, como disse o ministro Marco Aurélio de Mello, é golpe. Querem entregar o país ao PMDB do Rio, esse aí que derruba ciclovia”, atacou. Também citou Moreira Franco, que foi prefeito do Rio e quebrou a cidade, e, chamado por ele de “braço direito” de Michel Temer.

Ele ainda explicou que a generalização do crime dentro dos partidos é o que está causando esta intolerância. “Grupos se juntam para hostilizar pessoas e isso tem que acabar”. “Essa violência foi fomentada por jornalistas como um que criou o termo ‘petralha’ e botou na cabeça das pessoas que todo petista é ladrão”

“O ódio foi incutido na cabeça das pessoas como se nós fôssemos leprosos”. Os maiores empresários do Brasil estão organizados como um clube para tomar o poder. Sobre Eduardo Cunha, Abreu foi categórico: “O Cunha é ladrão. Ele não pode ‘impichar’ a Dilma”.

O ator relembrou que Temer foi citado diversas vezes pela Lava Jato e Wellington Moreira Franco, estão dentre aqueles que querem derrubar a presidente Dilma para entregar o poder aos empresários.

Últimas de Brasil