Por marlos.mendes

São Paulo - A presidente Dilma Rousseff discursou na tarde deste domingo em ato organizado pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) no Vale do Anhangabaú, região central de São Paulo. Na estimativa da organização, há cerca de 100 mil pessoas.

Enquanto esteve no palco, Dilma falou sobre o processo do impeachment. Ela disse que o presidente da câmara Eduardo Cunha "quer se ver livre do seu processo de cassação", acrescentando que ele ameaçou aceitar o processo para que os deputados do PT que pertencem à Comissão de Ética da Câmara - onde Cunha é réu - ajudassem a barrar o processo contra ele.

"Se praticam esses absurdos contra mim, o que vão praticar contra o povo trabalhador, contra as pessoas mais anônimas desse país?", perguntou a presidente.

Dilma anunciou reajuste no Bolsa Família e na tabela do IRAgência Brasil

No evento, a presidente reafirmou que impeachment sem crime é golpe. "Para ter impeachment, não basta não gostar da presidenta. É preciso ter crime", afirmou. "Eu não tenho conta no exterior. Nunca embolsei dinheiro do povo", disse.

Ela ainda acusou a invenção de crime de responsabilidade: "Tiveram que inventar um crime, eles começaram dizendo que eram seis decretos. Eu, em 2015, fiz 6 decretos chamados de suplementação. O FHC, em 2001, fez 101 decretos de suplementação. Para ele, não era nenhum golpe nas contas públicas. Pra mim, é golpe. Vejam vocês, dois pesos e duas medidas, porque não tem do que me acusar"

Os ministros da Educação, Aloizio Mercadante, e do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, estão presentes no ato, assim como o presidente do PT, Rui Falcão. Também estão presentes o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

Reajustes
A presidente, como era esperado, também falou sobre o reajuste no programa Bolsa Família.

"Nós estamos autorizando um reajuste no Bolsa Família que resultar em um aumento médio de 9%", afirmou a presidente. Segundo Dilma, essa correção estava prevista desde agosto de 2015, quando o orçamento foi enviado para o Congresso. E o reajuste acontece "sem comprometer o cenário fiscal que eles gostam de dizer que nós comprometemos", ressaltou Dilma.

Sobre o Bolsa Família, a presidente ainda criticou a proposta de Temer de focar nos 5% mais pobres da população brasileira: "Sempre que vocês virem eles dizendo: 'vamos focar' 'vamos revisitar', 'reolhar' certas politicas sociais, significa 'vamos acabar com elas'". Ela afirmou que essa medida atinge 10 milhões de brasileiros, enquanto o Bolsa Família, atualmente, beneficia 47 milhões de pessoas.

A presidente falou ainda da correção de 5% do Imposto de Renda sobre Pessoa Física que passa a valer a partir do ano que vem.

Ela também afirmou estar propondo o aumento da licença paternidade dos funcionários públicos de 5 para 20 dias: "Com isso estamos propondo que os homens funcionários públicos deste país ajudem as mulheres".

Você pode gostar