Temer assume presidência e oficializa escolha de ministros

Presidente em exercício dará posse a equipe nesta quinta-feira a tarde

Por O Dia

Brasília - Após a saída da presidenta afastada Dilma Rousseff do Palácio do Planalto, na tarde desta quinta-feira, o presidente em exercício Michel Temer oficializou a escolha de 21 ministros de seu governo, que deverão tomar posse às 15h desta quinta-feira. 

Temer foi notificado por volta das 11h27 pelo senador Vicentinho Alves (PMDB-TO) da decisão do Senado Federal e, desde então, atua como presidente.

LEIA MAIS: Michel Temer é notificado sobre decisão do Senado e assume Presidência

Dilma Rousseff é intimada sobre afastamento da Presidência

Por 55 a 22, presidente Dilma é afastada e PT deixa o poder depois de 13 anos

Temer durante assinatura de notificação de posse como presidente interino Reprodução

O presidente em exercício terá 23 ministérios, reduzindo em nove o número atual, de 32 pastas. O político criou o Ministério da Fiscalização, Transparência e Controle, acabando com a Controladoria-Geral da União (CGU). O peemedebista também decidiu recriar o Gabinete de Segurança Institucional  (GSI) com status de ministério. Nesta quarta-feira o político chegou a confirmar a indicação do pastor Marcos Pereira (PRB) para o Ministério do Desenvolvimento, mas recuou pela pressão feita por senadores do PMDB, DEM e PSDB. Ainda faltam indicações ministros da Integração e Minas e Energia.

Notificação de posse de Temer Reprodução

Ministério de Temer é o primeiro desde a Ditadura Militar sem mulheres

O presidente interino, Michel Temer será o primeiro presidente desde a Ditadura Militar a não ter mulheres no comando de alguma pasta na Esplanada dos Ministérios. O primeiro presidente a ter mulheres ocupando cargos no Planalto foi o general Ernesto Geisel, durante os Anos de Chumbo (1974-1979).

Nos primeiros dias de articulações para a formação de sua equipe, Temer chegou a convidar a ex-ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Ellen Gracie para assumir a Controladoria-Geral da União (CGU), mas ela recusou. Os nomes das deputadas Mara Gabrilli (PSDB-SP) e Renata Abreu (PTN-SP), fizeram parte das negociações partidárias, mas não se consolidaram.

Aliados de Temer afirmam que ele não tem restrição à participação de mulheres em seu governo e não desistiu de colocar uma ministra em uma pasta de expressão.

Confira os ministros do governo Temer 

- Gilberto Kassab, ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações

- Raul Jungmann, ministro da Defesa

- Romero Jucá, Planejamento, Desenvolvimento e Gestão

- Geddel Vieira Lima, ministro-chefe da Secretaria de Governo

- Sérgio Etchegoyen, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional

- Bruno Araújo, ministro das Cidades

- Blairo Maggi, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

- Henrique Meirelles, ministro da Fazenda

- Mendonça Filho, ministro da Educação e Cultura

- Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil

- Osmar Terra, ministro do Desenvolvimento Social e Agrário

- Leonardo Picciani, ministro do Esporte

- Ricardo Barros, ministro da Saúde

- José Sarney Filho, ministro do Meio Ambiente

- Henrique Eduardo Alves, ministro do Turismo

- José Serra, ministro das Relações Exteriores

- Ronaldo Nogueira de Oliveira, ministro do Trabalho

- Alexandre de Moraes, ministro da Justiça e Cidadania

- Mauricio Quintella, ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil

- Fabiano Augusto Martins Silveira, ministro da Fiscalização

- Fábio Osório Medina, Transparência e Controle que deixa de ser Controladoria-Geral da União

Últimas de Brasil