Por tabata.uchoa

São Paulo - Cerca de 300 estudantes se reuniram sexta-feira à noite em protesto contra a ação da Polícia Militar que desocupou, sem mandado judicial, diretorias de ensino e a Escola Técnica de São Paulo (Etesp) no Bom Retiro, pela manhã.

Estudantes protestam contra desocupação de unidades de ensino de escolas técnicas pela Polícia MilitarCris Faga / AE

Participaram do ato na região central de São Paulo alunos de escolas técnicas, jovens de escolas estaduais e universitários, além de integrantes do Movimento Passe Livre e professores. Na manhã de sexta, 51 jovens foram levados a delegacias após a decisão de reintegração. No início da noite, todos já haviam sido liberados e dois maiores libertados mediante pagamento de fiança. Segundo a Polícia Civil, parte do grupo deve responder por supostos danos em unidades, o que é negado pelos alunos.

A concentração começou às 17 horas na Praça do Ciclista, na Avenida Paulista e, às 19 horas, o grupo começou a se deslocar em direção ao Largo São Francisco, sede da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).

Na Paulista, o grupo reclamava contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB) que decidiu determinar a reintegração mesmo sem mandado judicial.  Miguel Ramos, de 17 anos, estudante da Escola Técnica Horácio Augusto da Silva, na Vila Guilherme, zona norte, criticou a postura do governo. "Foi uma ação semelhante ao que acontecia na época da ditadura militar. Não é à toa que fizeram isso nesse momento de troca de presidente, aproveitando que toda a atenção da mídia está voltada para o que está acontecendo em Brasília”, disse.

Você pode gostar