Comerciante que agrediu mulher com cotovelada brutal no rosto deixa prisão

Anderson Lúcio de Oliveira conseguiu a liberdade condicional na última sexta-feira

Por O Dia

São Paulo - O comerciante Anderson Lúcio de Oliveira, de 37 anos, de São Roque, no interior de São Paulo, julgado e condenado pelo tribunal do júri por ter dado forte cotovelada em uma mulher após uma festa, já deixou a prisão. Oliveira, que cumpria a pena de cinco anos em regime semiaberto, na Penitenciária II de Tremembé, conseguiu a liberdade condicional na última sexta-feira, 13. Neste domingo, 15, ele voltou a trabalhar em seu bar, na região central de São Roque.

Comerciante que agrediu mulher com cotovelada é julgado

Mulher é agredida com cotovelada e sofre traumatismo cranianoReprodução Internet

O comerciante não pode deixar a cidade sem autorização judicial e tem a obrigação de se apresentar à Justiça uma vez por mês. Oliveira ainda aguarda o julgamento de um recurso do Ministério Público Estadual (MPE) contra a pena, considerada leve.

O júri entendeu não ter acontecido tentativa de homicídio, como constou da denúncia, mas lesão corporal de natureza grave. A promotoria criminal insiste na tese da tentativa de homicídio e quer a realização de um novo júri.

O caso aconteceu em agosto de 2014. Oliveira e a auxiliar de produção Fernanda Regina Cézar, de 32 anos, tinham saído de uma festa de casamento e começaram a discutir na calçada do clube. De repente, ele desferiu violenta cotovelada no rosto da mulher, derrubando-a. Ele deixou o local enquanto a vítima era socorrida por outras pessoas.


Fernanda sofreu traumatismo craniano e ficou 15 dias internada no Hospital Regional de Sorocaba. Câmeras de segurança registraram a cena e a violência da cotovelada causou grande repercussão. O comerciante teve a prisão decretada e aguardou o julgamento preso. Ele afirma que não teve a intenção de ferir a mulher e se diz arrependido.

Últimas de Brasil