Bruno diz que foi alvo de facada em briga na cadeia

Em entrevista ao site 'Globoesporte.com', goleiro relata sua rotina no presídio

Por O Dia

Minas Gerais -  Preso há cinco anos e nove meses, o goleiro do Flamengo Bruno conta os dias para voltar a jogar futebol em 2018. Em entrevista à reportagem do ‘Globoesporte.com’, Bruno falou sobre sua vida no cárcere, incluindo uma tentativa de suicídio e as agressões de que foi vítima, e promete lançar um livro com a “verdadeira história” sobre a morte da amante Eliza Samúdio, em 2010, crime pelo qual foi condenado.

Preso há cinco anos e nove meses%2C Bruno falou sobre a vida na prisãoBanco de imagens

“Reconheço que eu tenho que pagar a minha dívida com a Justiça. Tudo que aconteceu vai servir de experiência. Eu vou voltar. Chega de sofrer, sabe? Eu sofri muito e fiz muitas pessoas sofrerem”, afirmou o jogador ao Globoesporte.com.

Bruno cumpre pena de 22 anos e três meses pela morte de Eliza Samúdio em 2010. Mas, com a progressão por dias trabalhados, ele esperar ser libertado em 2018, pelos seus cálculos. Durante cinco anos, o goleiro ficou em presídios comuns, na região metropolitana de Belo Horizonte. Nessas cadeias, ele tentou um suicídio e foi alvo de uma facada, além de entrar em depressão tratada à base de remédios.

Há oito meses, ele foi transferido para a Apac (Associação de Proteção e Assistência ao Condenado), uma ONG que administra prisões e trabalha em conjunto com diversos estados. Aí sua vida, segundo ele próprio, melhorou. Quando ganhar a liberdade, ele pretende voltar a morar no Rio. “Com certeza quero voltar para o Rio. A minha esposa mora lá. Assim que ganhar a minha liberdade quero ir para lá. Nem que seja para passar um tempo.” 

Últimas de Brasil