‘Tratava com bandidos’, diz Temer

Em discurso no Planalto, presidente em exercício afirma que sabe governar e que não é ‘coitadinho’

Por O Dia

Brasília - Em um discurso inflamado, antes de anunciar medidas econômicas para os próximos meses, o presidente interino, Michel Temer, afirmou que sabe governar e que não é “coitadinho”, e lembrou que já “tratou com bandidos” quando foi secretário de Segurança Pública de São Paulo.

“Tenho ouvido: ‘Temer está muito frágil, coitadinho, não sabe governar'. Conversa! Fui secretário de Segurança duas vezes em São Paulo e tratava com bandidos”, disse o presidente em exercício, batendo com uma das mãos sobre a mesa. “Então eu sei o que fazer no governo”, afirmou.

O tom do discurso de Temer surpreendeu os parlamentares da base aliada que estavam nesta terça-feira no Palácio do Planalto. Temer respondeu as críticas que seu governo tem sofrido da oposição, de que comete erros e recuos constantes. Segundo o presidente interino, sua equipe não tem que ter compromisso com erros. E explicou: “Quando houver equívoco, tem que rever a posição. Se fizer , conserta-lo-ei”.

Para o presidente interino Michel Temer%2C é preciso que o Congresso aprove medidas econômicas para conter gastos públicosValter Campanato/Agência Brasil

Questionado sobre a referência aos “bandidos” feita por Temer, o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, explicou que o presidente interino se referia “à pressão que enfrentou no período” e, portanto, “não cabe novas ilações”. Temer foi secretário de Segurança de São Paulo nas décadas de 1980 e 1990.

“Ele já enfrentou problemas e tem estofo para aguentar qualquer tipo de pressão com diálogo e firmeza, sem violência. Ele está absolutamente preparado para enfrentar as pressões que o cargo impõe”, disse Geddel.

Durante discurso, Temer demonstrou indignação com os protestos feitos na porta de sua casa, em São Paulo, que teriam deixado assustados e com medo sua mulher, Marcela, e seu filho, Michel, de 7 anos.

Segundo assessores, ele está particularmente irritado com o que ocorreu porque “mexer com a família, é inadmissível". "Quer fazer protesto, vem aqui para a porta do Jaburu (residência oficial de Temer) e não para a porta da minha casa, onde está minha família. Isso não é possível”, disse Temer a auxiliares, ao ser informado pela mulher, que lhe telefonou nervosa, com receio de que os manifestantes pudessem invadir a residência.

?Novo ministro toma posse

Depois da pressão de artistas e servidores, que culminou com a decisão de recriar o Ministério da Cultura, o presidente em exercício Michel Temer deu posse ontem ao ministro Marcelo Calero dizendo que uma cerimônia “individualizada” mostrava a atenção de seu governo com a classe artística.

“Acho que foi interessante como certos fatos, que podem parecer equivocados no primeiro momento, geram fatos muito positivos, porque isto não está sendo registrado como uma posse coletiva, mas como uma posse particular, uma posse individualizada, uma posse especial”, disse o presidente, durante cerimônia no Palácio do Planalto. “Então, quando eu dou posse ao Marcelo Calero, faço questão de dizer: estou homenageando a cultura brasileira.”

Diplomata, Calero é ex-secretário de Cultura do Rio. “Agradeço o compromisso do presidente de devolver à cultura espaço a altura de suas elevadas funções e atribuições”, disse.

Últimas de Brasil