Corpo de vocalista do Fundo de Quintal será enterrado em SP nesta segunda

Sepultamento do corpo de Mário Sérgio está marcado para as 17h, no Cemitério Jardim das Flores, em Cotia

Por O Dia

Rio - Será enterrado em Cotia, Região Metropolitana de São Paulo (SP), na tarde desta segunda-feira, o corpo de Mário Sérgio. Uma das vozes de referência do samba, o vocalista do grupo Fundo de Quintal morreu aos 58 anos, na madrugada deste domingo, vítima de um linfoma. Seu corpo será velado a partir das 10h, na capela 2, do Cemitério Jardim das Flores, e sepultado às 17h.

Natural de São Paulo, Mario morava em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O músico estava internado há uma semana em um hospital do município para se tratar. Por conta de seus problemas de saúde, ele já não estava participando dos shows do grupo, composto também por Bira Presidente, Sereno, Ubirany, Ademir Batera e Ronaldinho.

Mário Sérgio faleceu na manhã deste domingoReprodução Internet

Mario Sérgio entrou para o Fundo de Quintal em 1991, quando desde então foi autor de diversos sucessos, como ‘Brasil Nagô’, ‘Além dos Sonhos da Ilusão’, ‘Amor dos Deuses’ e ‘Livre pra Sonhar’. Antes, o músico fez carreira no bloco carnavalesco Cacique de Ramos, que originou o grupo.

Algumas de suas composições foram cantadas por bambas como Zeca Pagodinho, que, em 1992, interpretou ‘Um dos Poetas do Samba’. A música foi composta por Mario em parceria com Capri e Wilson Moreira — de acordo com o dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira — e deu título ao disco do cantor, lançado pela gravadora RCA.

CONFIRA: Morre vocalista do grupo Fundo de Quintal

Zeca Pagodinho lamentou a morte de Mario Sérgio, a quem considera um “grande cara”. “Gravei duas ou três músicas dele. A morte pegou de surpresa. Inclusive, fizemos um show no mês passado, no Cacique de Ramos. Era um grande músico, grande cara, gente boa. Vida que segue”, disse Zeca.

Em seu Instagram, Diogo Nogueira publicou uma foto de Mario Sérgio com a legenda: “Muito triste com essa notícia. Descanse na paz do senhor”. Dudu Nobre também o homenageou na mesma rede: “Mais um poeta partindo. Vai na fé. Já está fazendo falta”.

Últimas de Brasil