Em Minas, polícia procura suspeito que estuprou e arrancou coração de menina

Crime bárbaro aconteceu na última quinta-feira em Buenópolis, na região Central do Estado

Por O Dia

Belo Horizonte - A Polícia Militar de Minas Gerais retomou, na manhã desta segunda-feira, as buscas por Jairo Lopes, de 42 anos, suspeito de estuprar, assassinar e arrancar o coração de Raiane Aparecida Cândida Costa, de 10 anos, em Buenópolis, na região Central do Estado.

A localização do homem foi descoberta através de denúncias de moradores da área. O criminoso foi reconhecido ao chegar em uma casa pedindo água, comida e fósforo, no povoado de Engenheiro de Dolabela, em Bocaiúva, na região Norte de Minas. O crime bárbaro foi descoberto na última quinta-feira. 

Raiane sumiu após sair de casa sozinha para ir à escola na manhã de quarta-feira, 1º de junho. O pai da menina contou à polícia que a filha tinha que voltar para casa às 14h. Como a criança não apareceu, ele foi até a escola, onde foi informado que a vítima não havia aparecido na instituição. Em seguida, o homem foi atrás do motorista do escolar que levava a pequena para estudar.

Ele contou que passou no ponto em que costumava pegar a estudante, mas ela não estava. Após o registro da ocorrência, policiais civis e militares começaram a fazer buscas na cidade. Na quinta, a estudante foi encontrada na zona rural de Buenópolis. Seu corpo estava coberto. Além de sinais de abuso sexual, ela apresentava várias lesões e uma perfuração no estômago. Seu coração não foi encontrado.

Lopes já era procurado pela Justiça por homicídio, um outro estupro e roubo. Ele usava nome falso e, uma semana antes do crime, apareceu no imóvel em que a garota morava.

“A casa dele fica a cerca de cinco quilômetros do imóvel em que Raiane vivia. Na quinta-feira (26), ele chegou lá, se apresentou com o nome de 'Roberto' e pediu para falar com o pai da menina. A avó dela disse que ele não estava. Esse homem ainda ficou um tempo conversando, sentou, acendeu um cigarro e disse que estava procurando trabalho”, contou a tia, que pediu para não ter o nome divulgado.

A vítima era a filha caçula. Ela tem um irmão de criação de 18 anos. Há cerca de oito meses, a mãe da menina faleceu devido a problemas de saúde. Desde então, a criança era criada pela avó materna e pelo pai. 

Últimas de Brasil