Temer nomea Guilherme Campos Jr. como no presidente dos Correios

Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio. Toma posse hoje no Banco Central, Ilan Goldfajn

Por O Dia

Brasília - O presidente em exercício, Michel Temer, nomeou Guilherme Campos Júnior para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira. Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento da Presidência da República.

Guilherme Campos JúniorDivulgação

Agência Nacional de Transportes Aquaviários

Temer também encaminhou ao Senado Federal, para apreciação, o nome de Mário Povia para ser reconduzido ao cargo de diretor da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). A mensagem com a indicação está publicada no Diário Oficial da União (DOU)

Povia era diretor-geral da agência reguladora até fevereiro deste ano, quando seu mandato terminou. Em março, Dilma Rousseff decidiu não renovar sua permanência no cargo e escolheu Luiz Otávio Oliveira Campos para substituí-lo. Ontem, no entanto, Temer cancelou a decisão de Dilma, pedindo ao Senado a retirada de tramitação da indicação de Oliveira Campos para a diretoria da agência reguladora.

Diário Oficial publica nomeação de novo presidente do BC

O Diário Oficial da União publica hoje decreto com a nomeação do novo presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, que substitui Alexandre Tombini, que dirigia a instituição desde janeiro de 2011. O presidente interino Michel Temer dará posse a Goldfajn às 17 horas em cerimônia no Palácio do Planalto.

Ilan Goldfajn foi indicado por Meirelles para o Banco CentralReprodução

Indicado pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o nome de Goldfajn foi aprovado pelo plenário do Senado Federal no último dia 7, após sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). A indicação  recebeu 56 votos favoráveis e 13 contrários, a maior parte deles de senadores de oposição que compunham a base do governo de Dilma Rousseff. Foi registrada uma abstenção. A votação foi secreta.

Na condição de presidente do Banco Central, Goldfajn vai coordenar a política monetária e cambial do país. O economista já foi diretor de Política Econômica do BC entre 2000 e 2003, na gestão de Armínio Fraga. Antes de ser indicado, era economista-chefe do Itaú Unibanco e sócio da instituição.

Últimas de Brasil