Protestos contra Temer ganham as ruas

Milhares de pessoas fizeram manifestações em cidades de 24 estados. No Rio, cerca de 20 mil foram para o Centro; em São Paulo, ato teve a presença de Lula

Por O Dia

Brasília - Manifestantes realizaram nesta sexta-feira atos contra o presidente em exercício, Michel Temer (PMDB). Cidades de ao menos 24 estados das cinco regiões do Brasil receberam protestos contra o governo interino.

No Centro do Rio, cerca de 20 mil pessoas, segundo os organizadores, ocuparam duas pistas da Avenida Rio Branco. Em passeata em direção à Cinelândia, os manifestantes gritaram “Fora, Temer”, “Golpe nunca mais” e “Nenhum direito a menos”. O ato contou com dois carros de som e bandeiras da CUT, CTB e Frente Brasil Popular.

O deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) foi um dos que discursou no carro de som. “O desafio que temos pela frente é convencer os nossos próximos de que a rua tem que ter muito mais gente”, disse o deputado.
Em São Paulo, na Avenida Paulista, a manifestação teve a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Protestos contra Temer ganharam as ruas do paísJoão Laet / Agência O Dia

Em discurso para a multidão de cerca de 100 mil pessoas, segundo os organizadores, Lula admitiu que poderá ser candidato nas eleições presidenciais de 2018, “Quanto mais eles me provocarem, mais eu corro risco de ser candidato a presidente em 2018. Se eles acham que vão me amedrontar com ameaça, eu quero dizer, que quem não morreu de fome em Garanhuns (PE), não tem medo de ameaça nesse país”, afirmou Lula.

No primeiro ato unificado da Frente Brasil Popular, composta por movimentos de esquerda e centrais sindicais, desde que Michel Temer assumiu a presidência interinamente, há menos de um mês, Lula o criticou por promover mudanças no governo, a exemplo da diminuição do número de ministérios. “Após a decisão do Senado de afastar a Dilma, Temer pegou a interinidade e não agiu como interino. Ele assumiu com a mesma liberdade e autoridade com que Fidel Castro entrou em Havana após a Revolução cubana. Mas ele não tinha autoridade.”

Os atos contra o governo de Michel Temer reuniram milhares de pessoas em vários estados do país. Além do Rio e de São Paulo, houve atos em Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe, Tocantins e no Distrito Federal.

Últimas de Brasil