Dilma irá colaborar para que calendário do impeachment se cumpra, diz Renan

A previsão é de que o julgamento final da presidente afastada aconteça entre 24 e 26 de agosto

Por O Dia

Brasília - Depois de ser anfitrião de um jantar que reuniu o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e senadores da base de Michel Temer, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), se reuniu nesta quarta-feira, com a presidente afastada Dilma Rousseff.

Ele elogiou o encontro e afirmou que a presidente quis se atualizar sobre o calendário do processo de impeachment. A comissão que analisa o caso encerra hoje os depoimentos de testemunhas e, em seguida, receberá as alegações finais da defesa e da acusação. A previsão é de que o julgamento final da presidente aconteça entre 24 e 26 de agosto.

A presidente da República afastada, Dilma RousseffJosé Cícero da Silva/Agência Pública

"Ela me perguntou sobre o calendário e disse que irá colaborar para que seja cumprido. Ela não tem interesse em atrasar o processo", disse. Renan descreveu a presidente como "triste, mas aguerrida" e disse que ela recomendou ponderação e equilíbrio na condução do processo. Em referência a si próprio, Renan afirmou que Dilma disse estar feliz em ter uma pessoa com a isenção necessária na condução do impeachment.

De acordo com Renan, a presidente não quis fazer considerações sobre o governo do presidente em exercício Michel Temer, nem chegou a falar sobre a proposta de novas eleições. "Ela não falou sobre novas eleições, mas essa possibilidade não está posta. Não acredito nessa perspectiva de acordo com tantos parlamentares. Há uma exigência de 3/5 para aprovação da proposta", lembrou.

Últimas de Brasil