Coluna Esplanada: PF descobre rombo em fundo de pensão dos Correios

Fundo adquiriu centenas de milhões de reais em papéis das dívidas públicas da Venezuela e da Argentina

Por O Dia

Brasília - A Polícia Federal descobriu um rombo surreal no Postalis, o fundo de pensão dos Correios, após colocar as mãos na papelada apreendida na última operação que prendeu conselheiros. O fundo adquiriu centenas de milhões de reais em papéis das dívidas públicas da Venezuela e da Argentina, países quebrados e sem condições de honrar os débitos. Foi durante a gestão do PT. Os investigadores rastreiam a papelada para saber quem deu a ordem que causou prejuízo.

Na canetada
Os conselheiros, apadrinhados políticos, passaram por cima do grupo de análise de risco, cuja maioria dos pareceres era contrária aos investimentos que deram problema.

No vermelho
O Postalis tinha R$ 6 bilhões em caixa. Com as maracutaias, tem pouco mais que R$ 1,5 bilhão.

Dois lados
Enquanto procuradores apontam precipitação do juiz que deu prisão domiciliar para a dupla Cachoeira & Cavendish, magistrados olham com preocupação ao MP. Na rodinha da toga, comenta-se uma ansiedade por vitrine: após o MP de Curitiba (Lava Jato) e o de SP (Condução de Lula), o do Rio quer protagonismo.

Don Juan
Em palestra no Instituto de Advogados Brasileiros no Rio, o ex-ministro José Eduardo Cardozo se disse “solteiríssimo” ao responder a grupo de colegas (algumas solteiras).

Senhora amnésia
A deputada Luiza Erundina (Psol) lançou sua campanha à Prefeitura de São Paulo com ‘Fora, Temer!’ como um dos slogans. O procurador Michel Temer foi seu vice numa candidatura ao cargo décadas atrás.

Vai doer
Eduardo Suplicy (PT), que presidiu a comissão de Direitos Humanos do Senado, vai solicitar que a Casa dê respaldo jurídico a Luiza Brunet, agredida, no pedido de indenização contra Lírio Parisotto.

Oi...
Suplicy mandou mensagem de WhatsApp para a atriz, em solidariedade.

?Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil