Lava Jato: STF ouve hoje ex-diretor da Câmara em ação penal contra Cunha

Deputado afastado responde pelo recebimento de US$ 5 milhões de propina em contas não declaradas na Suíça

Por O Dia

Brasília - O Supremo Tribunal Federal (STF) ouve desde o começo da manhã desta quinta-feira, o depoimento do ex-diretor do Centro de Informática (Cenin), da Câmara dos Deputados, Luiz Antônio Souza da Eira. Ele é uma das testemunhas de acusação na ação penal em que o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) responde pelo recebimento de US$ 5 milhões de propina em contas não declaradas na Suíça.

O depoimento está sendo realizado em uma sala do STF. As audiências foram marcadas no último dia 11 e constam em despacho assinado por um juiz auxiliar do gabinete do ministro Teori Zavascki. Entre as testemunhas, figuram cinco delatores da Operação Lava Jato.

Ex-diretor do Centro de Informática (Cenin)%2C da Câmara dos Deputados%2C Luiz Antônio Souza da EiraReprodução

Na semana passada, o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, negou, por motivos processuais, pedido da defesa de Cunha para suspender os depoimentos das onze testemunhas de acusação.

O ministro entendeu que não cabe habeas corpus, recurso utilizado pela defesa de Cunha contra decisão de um membro da Corte. O mérito da questão não chegou a ser analisado.

No próximo dia 1º de agosto, serão ouvidos na Justiça Federal no Rio de Janeiro o ex-diretor da Área Internacional da Petrobrás, Nestor Cerveró, o ex-diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa, e o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano. O empresário Júlio Camargo falará à Justiça Federal, em São Paulo, no dia 8 de agosto.

Últimas de Brasil