Diarista é amarrada e assassinada na própria casa, no Paraná

Vítima havia recebido uma indenização de R$ 60 mil. Polícia investiga motivos do crime

Por O Dia

Islene era diarista e tinha um filho de 17 anosReprodução/Facebook

Curitiba - Uma mulher foi encontrada morta na noite desta terça-feira dentro da própria casa, em Campo Limpo, cidade da Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná. Segundo a Polícia Civil, a vítima é a diarista Islene Severino de Lima, de 41 anos. De acordo com os policiais, a mulher foi assassinada na noite do dia 1º, mas só foi encontrada nesta terça à noite, após vizinhos desconfiarem do sumiço da mulher.

Os agentes contaram que Islene, que era muito conhecida na região, estava com as mãos e pernas amarradas e foi agredida antes de ser assassinada, já que ela foi encontrada com o rosto desfigurado e com marcas de pancadas na cabeça. O corpo estava sob uma cama. Segundo investigadores que apuram o crime, a mulher foi asfixiada. 

A Polícia Civil disse que o carro da diarista foi roubado. Há alguns dias, a mulher recebeu aproximadamente R$ 60 mil de uma indenização. Familiares e amigos já começaram a ser ouvidos pela polícia.

Até a manhã desta quarta-feira, nenhum suspeito havia sido preso. A polícia já trabalha com a hipótese de homicídio. 

O corpo de Islene foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba. A mulher deixa um filho de 17 anos, que não estava na casa da vítima no momento do crime.

Últimas de Brasil