Justiça Eleitoral deixa Michel Temer inelegível até 2024

TRE de São Paulo condenou o presidente interino por doar, na eleição de 2014, mais recursos do que o permitido por lei. Ele recebeu multa de R$ 80 mil

Por O Dia

Brasília - Por decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo, o presidente interino, Michel Temer, não poderá disputar nenhuma eleição até 2024. Seu nome foi incluído no cadastro de inelegíveis no país, depois que ele foi condenado por doar na eleição de 2014 mais recursos do que o permitido por lei. Como punição, Temer recebeu uma multa de R$80.037,75 e tornou-se inelegível. Temer tem até o dia 19 de agosto para pagar a multa. 

O presidente interino foi condenado pelo TRE-SP no dia 3 de maio. Ele foi punido por ter doado na última eleição mais do que 10% dos rendimentos declarados em seu Imposto de Renda, limite estabelecido por lei para pessoa física.

Marcela%2C mulher de Michel Temer%2C participou pela primeira vez de uma cerimônia oficial no Palácio do PlanaltoBeto Barata / PR

Em 2014, o peemedebista desembolsou R$ 100 mil para ajudar os deputados federais pelo Rio Grande do Sul, Alceu Moreira e Darcísio Perondi, que foram reeleitos. Segundo a Receita Federal, o máximo que Temer podia ter doado era R$ 84 mil. Como se tratou deu uma condenação em segundo grau, Temer caiu na Lei da Ficha Limpa e tornou-se inelegível por oito anos a partir da data da condenação. O caso está transitado em julgado.

Estreia

A primeira-dama interina, Marcela Temer, estreou ontem em seu primeiro evento oficial desde que Michel Temer assumiu o Palácio do Planalto, em maio. A cerimônia escolhida foi a de formalização de promoção de noventa militares do Exército, Marinha e Aeronáutica, no Palácio do Planalto.

Marcela foi à cerimônia porque é uma tradição nas Forças Armadas os oficiais promovidos estarem acompanhados de suas cônjuges. Ela foi guiada durante toda a cerimônia pelo marido.

Últimas de Brasil