Morre em Belo Horizonte, aos 50 anos, Vander Lee

Cantor e compositor mineiro teria passado mal quando fazia hidroginástica foi socorrido mas não resistiu a um infarto

Por O Dia

Belo Horizonte - Morreu na manhã desta sexta-feira, aos 50 anos, o cantor e compositor mineiro Vander Lee. Ele estava internado em um hospital na capital mineira, desde a tarde dessa quinta-feira.

Vander Lee sofreu um infarto ontem, quando fazia hidroginástica. O músico foi operado na noite dessa quinta-feira e durante a madrugada sofreu 11 paradas cardíacas. De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital Madre Teresa, onde ele estava internado, Lee foi operado durante e precisou ser internado na UTI 3. Ainda segundo o comunicado, Vander Lee morreu às 8h desta sexta.

Vander Lee se firmou como um dos principais nomes da música mineira com nove discosDivulgação

A família do cantor avalia a possibilidade do velório acontecer no Palácio das Artes, mas ainda não confirma o local da cerimônia. O corpo de Vander Lee permanece no hospital.

Vander Lee era separado e deixa 3 filhos. Com 19 anos de carreira, ele se firmou como um dos principais nomes da música mineira com nove discos. Suas principais canções são "Contra o Tempo", "Meu Jardim", "Por Causa De Você", "Românticos" e muitas outras, cantadas em várias novelas da TV Globo. O artista tinha vários shows marcados para este ano.

O último vídeo postado em sua página oficial no Facebook mostra Vander Lee convidando o público de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, para a apresentação que aconteceria no dia 13 de agosto.

A carreira

Conhecido pelas músicas que falavam do amor e do cotidiano, Vander Lee contava sua história por meio da canção. Com 19 anos de carreira e nove discos gravados, o mineiro teve suas canções cantas e interpretadas por grandes nomes da música nacional, como Elza Soares, Gal Costa, Emilinha Borba, Maria Bethânia, Nando Reis, Rita Ribeiro, Margareth Menezes, Luiza Possi, e muitos outros.

Nascido em Belo Horizonte, em 1966, Vander Lee era o do meio entre sete irmãos e foi criado no bairro Olhos D'água, região Oeste da capital mineira. Lee começou tocando em bares e abrindo shows de Maurício Tizumba. Vander Lee passou a se apresentar em outros bares da noite belo-horizontina saiu da casa dos pais, o emprego e a escola para viver da música, no início, contando com o grande apoio de Tizumba.

Em 1987, participou do projeto Segunda Musical, no Teatro Francisco Nunes e fez a primeira apresentação baseada em composições próprias. No mesmo ano, participou do festival de música "Canta Minas" e ficou em segundo lugar com a música Gente não é cor. A premiação impulsionou Vander Lee a gravar o primeiro disco independente.

Nesta época, a assinatura do cantor ainda era Vanderly, mas o engano de um locutor de rádio, que o chamou de Vanderley, o fez repensar o nome artístico.

Em novembro de 1998, Vander Lee soube do lançamento de um livro de Elza Soares, no "Cozinha de Minas". Vander Lee superou a timidez e levou o disco até a cantora. Duas semanas depois, Elza o ligou e pediu para incluir a música “Subindo a Ladeira” nos shows dela. Vander Lee dividiu o palco com ela em uma apresentação, em BH e logo depois em vários espetáculos em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. A partir daí viu seu nome projetado para todo o país.

Repercussão da morte de Lee:

Vários artistas, entre eles Rogério Flausino, vocalista do Jota Quest e o Padre Fábio de Melo lamentaram a morte do cantor.

Confira a principal música de Vander Lee:

Reportagem de Rafael Nascimento

Últimas de Brasil