Coluna Esplanada: Dilma pediu revisão e orientação de Lula sobre mensagem

O petista, que já admitiu não ser dado à leitura, achou a versão inicial muito 'técnica'

Por O Dia

Brasília - Antes de tornar pública a “Mensagem aos senadores e ao povo brasileiro”, divulgada ontem, a presidente afastada Dilma Rousseff pediu a revisão e orientação do ex-presidente Lula da Silva. O petista, que já admitiu não ser dado à leitura, achou a versão inicial muito “técnica”. Esse foi um dos motivos do atraso de uma semana da divulgação da carta – tida como o “último suspiro” de Dilma. Mas não convence mais, nem Lula, nem o PT, tampouco os senadores com os votos já consolidados.

Mosqueteiros

Os ex-ministros de Dilma Jaques Wagner (Casa Civil), Mercadante (Educação), e Berzoini (Governo) foram escalados para posarem a seu lado. A contragostos.

Pajelança

Marcos Terena, o famoso índio e o mais político da tribo brasileira, visitou o presidente do PSC, Pr. Everaldo, na Câmara em Brasília. O PSC, como notório, comanda a Funai.

Em Brasília, 6h

O pacato e sempre focado Eduardo Cunha não descansa há dias, com o suspense judicial-policial em torno da mulher e da filha mais velha.

A conta do PIS/Cofins

O deputado Laércio Oliveira (SD-SE), presidente da Comissão de Desenvolvimento da Câmara, mostrou ao ministro Eliseu Padilha, da Casa Civil, o tamanho do impacto do aumento do índice do PIS/Cofins em cinco setores que geram 20 milhões de empregos. O Governo segura o reajuste de imposto, mas Henrique Meirelles diz que é inevitável.

Os afetados

Em suma, os índices pulariam de 3,65% para 9,25% e atingiriam em cheio os setores de educação, saúde, construção e telecomunicações, alguns dos que mais empregam no País. Pressionados, os ministros palacianos buscam saída que não seja mais imposto.

Revista nas fronteiras

Além de cuidar da logística da Olimpíada, o trio de ministros responsável pela segurança está de olho em manifestantes estrangeiros que virão ao Brasil para apoiar os protestos contra o impeachment no fim do mês – em especial os venezuelanos.

Parada obrigatória

A ordem dos ministros Alexandre de Moraes (Justiça), Raul Jungman (Defesa) e do chefe do GSI, general Sergio Etchegoyen, é parar e vistoriar ônibus, vans e carros de “esquerdistas” estrangeiros no Amapá, Roraima e na tríplice fronteira do Sul.

Troféu Pedaladas

O Movimento Brasil Livre vai lançar o prêmio Pedalada de Ouro: os cidadãos poderão votar pelo site – mbl.org.br – em quem acham que foi o senador pró-Dilma mais irritante durante o processo. No dia 25, o MBL vai entregar aros de pneus em ‘ouro, prata e bronze’, segundo Kim Kataguiri, aos senadores mais votados.

Coisas do Poder

Senadores aliados de Dilma não esconderam mágoas por terem sido vetados da leitura da missiva no Alvorada. Defensores mais fervorosos – como Kátia Abreu (PMDB-TO) – resmungaram que mereciam um lugar ao lado do púlpito improvisado.

Laor

O Brasil que idolatra o futebol deve muito a Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro, o Laor, que morreu ontem, aos 73. Ex-presidente do Santos, foi ele quem descobriu e investiu em Robinho e Neymar.

Paixão

Sua paixão era tamanha que, muitos anos atrás, deixou de pagar mensalidade da escola de uma filha para pagar a do clube e despesas do time. Mas depois pagou a escola, claro

Ponto Final

“É a proposta mais safada e ridícula da História recente do Brasil”

Do senador Roberto Requião (PMDB-PR), à Coluna, ao criticar com veemência a PEC que limita os gastos públicos enviada ao Congresso pelo presidente Michel Temer.

Coluna de Leandro Mazzini