Esplanada: Polícia associa ataques a empresas de transporte de valores à eleição

O cenário contribui – a crise tirou dinheiro de circulação, e a lei agora proíbe doações de empresas, o que mixou o caixa de candidatos bandidos

Por O Dia

Brasília - Uma das linhas de investigação sigilosa da Polícia de São Paulo associa os ataques a empresas de transporte de valores às eleições municipais. Há suspeita de motivação política na série de assaltos a empresas de valores na grande SP nos últimos meses. Seria protagonizada por facção criminosa que deseja financiar candidatos a vereadores no estado e até no Nordeste.

O cenário contribui – a crise tirou dinheiro de circulação, e a lei agora proíbe doações de empresas, o que mixou o caixa de candidatos bandidos.

No atacado

O crime organizado que financia campanhas então saiu do varejo – a explosão de caixas – e passou para o atacado: ataque a carros-fortes e cofres das empresas.

Na rota

As polícias estaduais de SP, Rio e Goiás – onde aumentou o tipo de crime – trocam informações e cruzam dados. Há suspeita de a quadrilha ser a mesma.

Emissário do caos

Eduardo Cunha tem conversado com o presidente Temer por um deputado aliado, que visita o Planalto. Segundo conta o porta-voz, não há ameaça entre eles, só ‘conversas’.

PSDB x Temer

O PSDB começou a ‘bater’ no ministro Henrique Meirelles (Fazenda) porque descobriu um plano esboçado por palacianos temeristas. Nele, o atual presidente Temer (PMDB) vai à reeleição em 2018 com Meirelles (PSD) de vice. No plano B, o nome é José Serra, que deve trocar o ninho tucano pelo PMDB. Com Meirelles também de vice.

Senhor dos cargos

Têm sido cada vez mais raras as aparições do presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL). Dedica-se a agendas externas, principalmente no Planalto onde, apesar de negar, comanda a indicação de nomes para cargos nas agências reguladoras.

Nova Adoção

Um grupo parlamentar capitaneado pelo deputado evangélico Sóstenes (DEM-RJ) e a deputada Geovania Sá (PSDB-SC) arrancou do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a garantia de criação da Comissão Especial da Adoção.

Tchau, abrigo!

A comissão deve rever a lei nacional de adoção, sancionada por Lula da Silva, e diminuir a burocracia que obriga as crianças a ficarem longo tempo nos abrigos.

Gratidão

Michel Temer tem admitido aos muito próximos que, se não fosse Eduardo Cunha, Dilma estaria no cargo, e o País no buraco da credibilidade política e comercial.

Pajelança

Os índios de diferentes etnias se reuniram com o ministro Geddel Lima (Governo), e endossar o nome do general Franklimberg Ribeiro de Freitas para a Presidência da Funai. É também apadrinhado do PSC.

Vigilantes

O perigo não passou. Apesar da relativa tranquilidade dos Jogos, o Ministério da Justiça mantém a vigilância sobre suspeitos simpatizantes do Estado Islâmico. São mais de 200 homens e mulheres que estão sob o radar do ministro Alexandre de Moraes.

Vai mal..

Enquanto os Estados de Alagoas e Goiás investem R$ 20 milhões e R$ 30 milhões nos programas de prevenção às drogas, o Rio de Janeiro teve empenhado este ano apenas R$ 2 milhões. A droga ‘rola solta’ e o Governo estadual, intimidado.

..Vai coca? Vai erva?

O tráfico está se valendo de flanelinhas nos locais de provas dos Jogos do Rio para vender. Oferecem à ‘meia boca’, quase inaudíveis, quando o cidadão busca o carro

Ponto Final

“Peço desculpas à Venezuela”

Do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), em entrevista a uma rede de TV venezuelana sobre a briga do ministro das Relações Exteriores, José Serra para derrubar o país da presidência do Mercosul.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil