Esplanada: Cúpula de Temer mexe peças para evitar desgastes com aliados

O plano é negociar com tucanos cargos de segundo e terceiro escalão; o principal imbróglio se concentra no setor elétrico

Por O Dia

Brasília - A cúpula do Governo Michel Temer se debruça sobre o tabuleiro da Esplanada para ampliar a presença do PSDB na gestão. O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) e o secretário-ministro Moreira Franco mexem as peças para evitar desgastes com outros partidos aliados e o próprio PMDB.

O plano é negociar com tucanos cargos de segundo e terceiro escalão; o principal imbróglio se concentra no setor elétrico – nicho histórico do PMDB cobiçado há décadas pelo tucanato.

Mistério

O D.O. da União surpreendeu ontem ao trazer o nome de Marcelo Callero, ministro da Cultura, indicado para sabatina ao Senado para assumir a APO.

Revoada

Andam avançadas as conversas do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), com a cúpula do PSB. Não descarta se candidatar ao Planalto pelo socialista.

Às traças

Desocupada em maio desde que Michel Temer assumiu o Poder, a sede da vice-presidência está jogada às traças no anexo do Palácio. Será ocupada por Eliseu Padilha.

C.S.I. São Paulo

O ‘House of Feliciano’ já está virando um CSI São Paulo. Apertada e indiciada ontem pelo delegado Luís Hellmeister (3º DP), a jornalista Patrícia Lélis pediu cinco dias com a advogada para ‘contar toda a verdade’. Vem bomba aí. Até agora, ela acusa o deputado Feliciano de agressão, assédio e tentativa de estupro.

Novela tupiniquim

Em SP, ela foi indiciada por falsa comunicação de crime e extorsão ao ganhar dinheiro por seu silêncio. Então fica a pergunta: Patrícia inventou tudo, apesar das evidências reveladas? E por que Feliciano pagaria até R$ 300 mil pelo silêncio da garota?

Inebriado

Na véspera da frase infeliz sobre a Lei Ficha Limpa ter sido feita ‘por bêbados’, o ministro Gilmar Mendes animou mesa redonda num almoço na churrascaria Fogo de Chão em Brasília. Atrás dele, uma prateleira com 200 garrafas de cachaça.

Notívago

Enquanto milhões de brasileiros encaram ônibus lotados de madrugada para bater o ponto, o chanceler e notívago José Serra (PSDB) inicia seu expediente às 16h. Ingressa pela área privativa do Itamaraty, tranca-se no gabinete e ali fica até por voltas das 21h.

Bala na agulha

O presidente Temer tem dado atenção para lá de especial a deputados da chamada “bancada da bala”. Além de pedir apoio aos projetos enviados pelo Planalto ao Congresso, aposta no poder de fogo dos parlamentares na campanha municipal.

Sustentabilidade

A Rede de Mulheres Líderes pela sustentabilidade realiza hoje na Casa Brasil, no Rio, dois painéis de debates em parceria com o Ministério do Meio Ambiente. A Rede foi criada na Rio+20 e composta por executivas importantes do País.

Arrecadação online

Antonio de Andrade, empresário no Rio, criou um software que roda em celulares e computadores. É o Financiamento Popular Eleitoral. Segundo conta, a plataforma ‘oferece solução completa e aderente a legislação fácil, rápida e segura para a arrecadação de recursos de pessoas físicas pela internet para campanhas e partidos’.

Caixa 'a zero'

Candidato a prefeito em Cianorte (PR), o jovem Paulo Renato quer fazer história – mesmo que não ganhe. Gastar pouco em tempos de nova lei. Em 2014, candidato a estadual, teve 22 mil votos e virou suplente com R$ 10 mil investidos na campanha.

Novos tempos

O candidato do Solidariedade segue à risca as dicas do deputado Delmasso, distrital em Brasília: Campanha hoje é credibilidade, suor e internet.

Ponto Final

“Dilma é guerreira e não tem nada a temer”

Do ex-líder do governo Humberto Costa (PT-PE), sobre a confirmação da ida da petista ao julgamento final do impeachment.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil