Paulo Maluf depõe no STF sobre acusação de falsidade ideológica

Ele responde por acusações de ter recebido financiamento de uma empresa da qual era sócio sem prestar esclarecimentos em 2010

Por O Dia

São Paulo - Réu em ação penal por crime de falsidade ideológica, o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) prestou depoimento na tarde desta quarta-feira, 24, no Supremo Tribunal Federal (STF). Maluf responde a acusações de ter recebido financiamento de uma empresa da qual era sócio sem prestar esclarecimentos na campanha eleitoral de 2010, na qual foi um dos candidatos mais votados no Estado de São Paulo.

O interrogatório durou cerca de 45 minutos e foi conduzido pelo juiz instrutor Mário Augusto Figueiredo, em uma sala de audiências localizada em edifício anexo à sede do STF. "Não tenho nada a declarar além daquilo que está nos autos", disse Maluf a jornalistas, ao deixar o local depois do depoimento.

O deputado federal, Paulo Maluf (PP-SP)Reprodução Internet

Denúncia

A denúncia contra o deputado foi oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em outubro de 2014, em razão de irregularidades na prestação de contas da campanha de 2010. Em setembro do ano passado, os ministros da 1ª Turma do STF aceitaram a denúncia.

De acordo com a Procuradoria, Maluf teve R$ 168,5 mil de despesas de campanha pagas por empresa pertencente à sua família, a Eucatex. O valor, não declarado, foi usado para custeio de material de campanha. "As notas fiscais indicam, sem sombra de dúvidas, que as despesas pagas pela Eucatex SA custearam a confecção de material de campanha de Paulo Maluf", escreveu Janot