Coluna Esplanada: Dilma responderá perguntas de ex-aliados no Senado

Presidente afastada vai levar dossiê contra cada um dos senadores que lhe viraram as costas

Por O Dia

Rio -  São previsíveis os momentos de constrangimento durante o depoimento da presidente afastada Dilma Rousseff no plenário do Senado, na segunda-feira, cujo processo se inicia hoje.

Um deles será durante as perguntas de ex-ministros dos governos do PT, hoje no front de Michel Temer, chamado de golpista. Em resposta aos ex-aliados, a petista já guarda a expressão “Me admira você”. Ela vai levar um dossiê, em papel e na memória, contra cada um dos senadores que lhe viraram as costas.

Dia A, de Agripino

Para Agripino Maia (DEM-RN), a tese de golpe bradada por Dilma caiu por terra. “Só de ela vir fazer a defesa frente ao presidente do STF legitima o processo”.

Ela deu aula

Agripino não engoliu a resposta de Dilma em 2009 no Senado, então candidata ao Planalto, que o deixou mal, ao perguntar por que ela mentiu ao ser torturada na ditadura.

Poliana petista

O senador Paulo Paim (PT-RS) aponta que o discurso de Dilma será decisivo para “derrubar o impeachment”. “Grande parte dos senadores que a julgam responde processos e há até três meses estavam dentro do Palácio usufruindo do Governo dela”.

Vale-Fé

O senador Jorge Viana (PT-AC) recorre à fé ao afirmar que não é “impossível” conseguir seis votos para derrubar o impeachment no plenário. “Temos que acreditar até o último momento que essa marcha da insensatez possa ser interrompida”, profetiza.

Chumbo grosso

Seis aliados do presidente Michel Temer foram escalados para elevar o tom das perguntas à presidente afastada. Cássio Cunha (PSDB), Agripino Maia (DEM), Aloysio Nunes (PSDB), Aécio Neves (PSDB), Simone Tebet (PMDB) e Ana Amélia (PP).

Tropa com Moro

O Exército do Brasil vai conceder ao juiz federal Sérgio Moro a Medalha do Pacificador, sua maior honraria. Decisão publicada na Portaria nº 946, de 4 de agosto. 

Linha de chegada

O ministro Eliseu Padilha está irritado com o jogo mole de diretores da Autoridade Pública Olímpica (APO), apadrinhados do PT, que insistem em ficar no cargo. Padilha deu prazo de 30 de agosto para a turma entregar os cargos e evitar constrangimentos. Marcelo Calero, da Cultura, vai assumir a APO, acumulando funções.

Volta pra casa

Alguns funcionários cedidos pela Caixa, segundo levantou a Casa Civil, correspondem a 30% dos custos da folha. Todos voltarão às suas funções no banco. Os salários passam de R$ 21 mil, mais os benefícios.

Polícia Montada

O departamento de combate a narcóticos da Polícia Civil de Goiás tem uma Range Rover novinha e ‘envelopada’. É dirigida por quatro delegadas. Mas calma, cidadão, é para bom uso. Foi apreendida numa operação e está cedida pela Justiça.

Efeito contrário

Pesquisa encomendada pelo Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade (FNCP) mostra que 70% dos paulistas são contra o aumento de impostos de cigarro. Mais da metade acredita que elevar a carga tributária impulsiona o contrabando.

#magoei

O senador José Reguffe (sem partido) anda chateado com a operação da Polícia na Câmara do DF. “Tem que mudar; colocar lá quem realmente seja dedicado à política”, diagnostica Reguffe.

e-webtv

A Coluna reestreia amanhã a e-webtv, direto de nosso novo estúdio em Brasília, com vista para a Esplanada. Serão entrevistas para plataformas digitais (sites, smartphones, tablets, mobile media) com entrevista com autoridades, políticos, empresários, artistas.

Era digital

Os programas da e-webtv terão até 8 minutos, veiculados na TV UOL, no nosso canal no Youtube, e distribuídos para o site dos 30 jornais parceiros em 24 Estados.

Ponto final

“Não vamos aceitar proselitismo nem que ela (Dilma) transforme o Senado em palanque”

Do líder do PSDB no Senado, senador Cássio Cunha Lima (PB).

Últimas de Brasil