Polícia Militar reprime manifestação contra Michel Temer em São Paulo

Os PMs usaram bombas de gás lacrimogênio e spray de pimenta, gerando correria entre os manifestantes. Eles que não souberam dizer o que motivou o ataque

Por O Dia

São Paulo - A polícia reprimiu com bombas de gás lacrimogênio e spray de pimenta a manifestação contra o presidente interino Michel Temer na noite dessa terça-feira ocorrida na região central da capital paulista.

Policiais usaram bombas de gás lacrimogênio e spray de pimenta%2C gerando correria entre os manifestantesRovena Rosa/Agência Brasil

Os manifestantes saíram do Museu de Arte de São Paulo (Masp), desceram a Rua Augusta, passaram pela Praça Roosevelt e pela Rua Rego Freitas e seguiam na direção da sede da Folha de S.Paulo, quando houve um estouro de bomba próximo ao Largo do Arouche por volta das 21h30.

Questionado, o major Telles, comandante da operação, não soube dizer o que motivou a ação da PM. Os policiais usaram bombas de gás lacrimogênio e spray de pimenta, gerando correria entre os manifestantes. Os manifestantes também não souberam explicar o que motivou a ação da polícia.

Policiais da tropa de choque fizeram uma barreira para evitar a manifestação Rovena Rosa/Agência Brasil

O grupo se dispersou e, após cerca de uma hora, alguns manifestantes finalmente conseguiram chegar até a sede da Folha, na rua Barão de Limeira. Eles deitaram no chão e formaram a palavra "Golpe" no local. Policiais da tropa de choque fizeram uma barreira na porta de entrada do jornal.


Últimas de Brasil